PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

Chefe da Red Bull quer pedido de desculpa de Hamilton: "Albon podia vencer"

Hamilton durante o GP da Áustria de Fórmula 1  - DARKO BANDIC/AFP
Hamilton durante o GP da Áustria de Fórmula 1 Imagem: DARKO BANDIC/AFP

Do UOL, em São Paulo

05/07/2020 14h44

O chefe da Red Bull, Christian Horner, disse que seria bom se o britânico Lewis Hamilton pedisse desculpas pelo acidente que tirou a chance de o tailandês Alexander Albon brigar pela vitória no GP da Áustria de Fórmula 1.

Já na parte final da corrida, Albon tentou a ultrapassagem em cima do piloto da Mercedes pela segunda colocação logo após a relargada, mas houve um toque entre os dois carros. O tailandês, que tinha pneus em melhor estado e era uma ameaça até mesmo para o vencedor Valtteri Bottas, rodou e perdeu posições.

Hamilton acabou punido com cinco segundos pelo acidente, o que fez o campeão cair da segunda posição para a quarta na classificação final. Já Albon abandonou a corrida.

"Às vezes, esse esporte pode ser bastante brutal e parece que hoje é um daqueles dias. Alex fez uma grande corrida, ele não merecia isso, cinco segundos [a penalidade recebida por Hamilton] não mudou nada por ele. Ele poderia ter vencido a corrida, estrategicamente fizemos a decisão certa, seguimos os pneus macios, ele estava em uma posição forte", disse Horner, que não criticou Albon por uma possível pressa em tentar a ultrapassagem.

"Você pode dizer isso, mas ele fez o seu trabalho. Qual ultrapassagem é segura no final da corrida? Duvido que Lewis fosse aliviar para ele. Foi apenas um erro de Lewis no final do dia e seria bom se ele pedisse desculpas por isso", completou.

Albon também se manifestou sobre o toque, dizendo que sempre é arriscado ultrapassar pelo lado de fora, embora já tivesse a sensação de que tinha concluído a manobra.

"Eles estavam usando o pneu duro e eu estava confiante que faria as ultrapassagens. A sensação com o carro estava boa naquele momento, mas acontece. Acho que, desta vez, não diria que machuca mais, mas diria que, no Brasil, foi mais 50/50% (de culpa para cada) e essa? eu senti que já tinha passado e já estava até focando no Bottas. O contato aconteceu muito no final da manobra", disse.

"É sempre arriscado ultrapassar do lado de fora. Mas eu dei o máximo de espaço possível. Estava no limite. Sabia que, contando que eu desse todo espaço possível para ele, caberia a ele querer bater ou não", concluiu o tailandês da Red Bull.

Hamilton, por sua vez, chamou o incidente de infeliz e não contestou a punição. "Foi muito infeliz o lance com Alex. Não acredito que nos tocamos de novo. A sensação foi de um incidente de corrida, mas aceito qualquer punição e quero seguir em frente", afirmou.

Fórmula 1