PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

Como Hamilton apostou em lutas e surfe para ganhar 5kg para temporada 2019

Lewis Hamilton - false
Lewis Hamilton

Julianne Cerasoli

Do UOL, em Hong Kong

08/03/2019 04h00

Lewis Hamilton já tinha avisado ano passado, depois que a Fórmula 1 decidiu relaxar uma regra que privilegiava os pilotos menos pesados: voltaria para a temporada 2019 com um físico diferente. De fato, o inglês ganhou 5kg em massa muscular - e confessa que está tendo de controlar o peso de perto para não ganhar ainda mais. Mas como ele conseguiu? Ao invés de ficar horas na academia fazendo musculação, Hamilton apostou na pluralidade, indo da luta ao surfe.

O piloto, que busca o hexacampeonato na Fórmula 1, não quis dar muitas dicas de como mudou seu treinamento, mas afirmou que trabalhou com profissionais diferentes e usou modalidades distintas. Durante suas férias, ele postou alguns vídeos aprendendo a surfar com Kelly Slater, e disse também ter usado artes marciais em sua preparação. Não que isso seja novidade para o inglês, que é faixa preta de caratê. 

Lewis Hamilton durante as férias da Fórmula 1 - Instagram/Reprodução - Instagram/Reprodução
Imagem: Instagram/Reprodução

"Não tenho um treinador, fui entrando em contato com as pessoas e malhando com gente diferente, uma semana com cada, usando partes diferentes do corpo. Experimentei várias coisas e achei legal, é algo que vou repetir ao longo do ano. Mas não vou entrar em detalhes: você não ver o Federer falando como ele treina para bater o Nadal. Cada um faz o seu treino."

Um dos focos do inglês foi ver de perto como outros atletas veganos, como ele, treinam e se alimentam. "Trabalhei com um treinador que é vegano desde sempre e é muito trincado. Foi muito interessante ver as maneiras diferentes como as pessoas treinam. Cada um tem sua própria opinião sobre como fazer determinado exercício e isso é interessante. Só sei que sinto que meu abdome está mais forte do que nunca."

Não que a dieta de Hamilton tenha sido das mais restritivas. Ele revelou que, no começo da preparação, estava comendo de tudo.

"Antes de começar os treinamentos, eu podia comer o que quisesse, então comia panquecas e Cheetos, essas coisas. Mas ao mesmo tempo eu permaneci ativo e, no último mês, comi de forma bastante regrada. Minha porcentagem de gordura está diminuindo e estou vendo os músculos ficarem definidos. Não estou tentando virar um Hulk, demora para ganhar músculos, mas tem sido ótimo poder comer porções maiores!", celebrou Hamilton, que agora está com 74kg. Na verdade, lutando para permanecer com 74.
"Fiz a prova para fabricarem o assento há pouco tempo e foi interessante que não tive de fazer muitas mudanças mesmo estando bem mais pesado. Mas quando cheguei aqui tinha ganhado mais uns 2kg. Mas depois consegui baixar."

Qual a regra que ajudou Hamilton a 'crescer'?
Depois de anos de reivindicações dos pilotos, a Federação Internacional de Automobilismo alterou uma regra pela qual o peso mínimo dos carros era calculado junto do peso do piloto. Agora, lastros serão colocados juntos ao cockpit para completar 80kg no peso de todos os pilotos, igualando a desvantagem que principalmente os mais altos tinham. Isso porque, dependendo do circuito, 10kg a mais representam um carro 0s4 mais lento por volta na Fórmula 1.

"Nos últimos 12 anos", disse Hamilton, referindo-se a sua carreira na categoria", "tínhamos que ter um determinado peso [uma meta comum entre os pilotos era ficar perto dos 70kg] e isso não era legal. Tínhamos que pular refeições para ficar no peso certo e não tínhamos o máximo de energia. A mudança de regra é boa para os pilotos, que podem ser mais saudáveis e é assim que eu me sinto: mais saudável do que nos últimos 12 anos simplesmente porque eu posso comer. Então definitivamente estou mais feliz."

Toda essa preparação vai começar a ser testada dia 17 de março, data da prova de abertura da temporada da Fórmula 1, na Austrália.
 

Fórmula 1