PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

Paddock mais barato que meia entrada e liquidação: fãs se esbaldam em teste

Julianne Cerasoli

Do UOL, em Londres (ING)

27/02/2019 04h00

Ver carros de Fórmula 1 por oito horas por dia pagando apenas R$ 77,00 pelo ingresso, com direito a diversas vistas diferentes. Ou melhor ainda: ver os carros e ter acesso ao paddock, área reservada a pilotos e equipes, por pouco menos de R$ 215,00. Pode parecer algo fora do real para a categoria, cujos ingressos não saem por menos de R$ 305,00 (pela meia entrada do setor G) no GP do Brasil, por exemplo, podendo chegar a quase R$ 16.000,00 para a área VIP no paddock. Mas é a realidade dos fãs que vão ao Circuito da Catalunha, na Espanha, acompanhar os testes de pré-temporada.

"É legal porque você vê carros das 9h da manhã até 18h da tarde. É muito melhor do que ir em uma corrida?, diz Alex McNeillie, um piloto da British Airways que é tão fã da Fórmula 1 que programa suas escalas de acordo com o calendário da categoria. Mas, sem disputa real por posições, não fica chato depois de um tempo? ?Ver carros nunca é chato?, diz o britânico enquanto passeia pelo paddock com sua máquina fotográfica profissional, apetrecho comum para os torcedores, que têm acesso livre a todas as arquibancadas e podem ver os carros de diferentes ângulos.

A entrada que dá acesso apenas às arquibancadas custa 18 euros (R$ 77), mas você pode garantir sua entrada no paddock por 50 euros (pouco menos de R$ 215). O acesso é de apenas uma hora por dia, mas coincide justamente com o momento mais movimentado, entre 13h e 14h, quando a atividade de pista para e pilotos, mecânicos e engenheiros almoçam e têm que andar pelo paddock. Costumam atender a pedidos para fotos e autógrafos. A não ser Lewis Hamilton, dificilmente visto durante os testes, uma vez que seu motorhome (que tem tamanho semelhante ao usado pelas equipes) está instalado ao lado do box da Mercedes.

Existe outro ingresso, de 99 euros (cerca de R$ 420) que permite ficar no paddock por mais tempo, mas o movimento fora da hora do almoço cai bastante e as equipes barram pessoas não credenciadas como parte da mídia nas entrevistas, outro momento em que é possível ver os pilotos de perto. 

Além dos ingressos de 18, 50 e 99 euros, os organizadores ainda oferecem a opção, vendida já dentro do circuito, de uma visita ao paddock mais oito minutos na pista de kart localizada ao lado de onde os carros fazem a última curva antes de rasgar na reta de chegada por 35 euros (R$ 150). Também há a possibilidade de só andar de kart por 20 euros (R$ 85).

Além do acesso bem mais em conta, é possível aproveitar os descontos para comprar coleções antigas de bonés, roupas e miniaturas de carros mais antigos. A reportagem encontrou camisetas de times como McLaren, Williams e a agora "vintage" Force India, que se tornou Racing Point neste ano, por 10 euros (R$ 42) e bonés antigos de Fernando Alonso pelo mesmo preço - da época da Ferrari, mas sem a marca da Scuderia. Bem mais barato do que um boné novo de Max Verstappen, que não sai por menos de 50 euros (R$ 215).

O Circuito da Catalunha fica localizado na pequena cidade de Montmeló, 35km ao norte de Barcelona. Há um trem direto da capital catalã para as proximidades da pista, que demora cerca de 40 minuto desde o centro de Barcelona.

Os testes costumam ter duas baterias de quatro dias cada, na segunda metade do mês de fevereiro. Neste ano, as atividades de pista começaram dia 18 de fevereiro e terminam nesta sexta-feira. A temporada da Fórmula 1 começa dia 17 de março, na Austrália.
 

Fórmula 1