PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

"Achei que era brincadeira", diz Fittipaldi após chamado surpresa em teste

Pietro Fittipaldi durante sessão de testes - Reprodução/Twitter
Pietro Fittipaldi durante sessão de testes Imagem: Reprodução/Twitter

Julianne Cerasoli

Do UOL, em Montmeló (ESP)

19/02/2019 16h36

Pietro Fittipaldi achou que seu engenheiro estava brincando quando ouviu pela primeira vez que tinha de se preparar às pressas para entrar no carro já nesta terça-feira, no segundo dia de testes da pré-temporada. Afinal, o plano era que o piloto de testes da Haas só iria para a pista na quarta à tarde, mas o titular Kevin Magnussen teve um problema com o encosto de cabeça e não pôde continuar o teste.

A reportagem do UOL Esporte tinha flagrado Fittipaldi menos de uma hora antes dele entrar no carro em uma arquibancada, observando os carros. Antes de ir para um outro ponto da pista, contudo, ele decidiu passar no caminhão da equipe. E acabou surpreendido com a notícia de que entraria no carro.

Haas has got a spy 😎 @pifitti #f1 #f1testing

Uma publicação compartilhada por Julianne Cerasoli (@myf1life) em

"Ninguém me chamou. Eu estava lá [na arquibancada] por volta das 16h, só vendo como os carros estavam, como estava o ponto de freada, como cada carro estava entrando na curva. Estava indo para a primeira curva, mas voltei para o caminhão da equipe para pegar o meu óculos e, quando entrei na sala dos engenheiros, um dos engenheiros falou em italiano 'está pronto para entrar no carro?` e até dei risada, falei que amanhã seria legal. Mas ele falou que eu ia entrar naquela hora. Achei que ele estava brincando, mas ele disse que era sério. E logo veio outro engenheiro dizendo para eu me preparar o mais rápido possível porque eles já estavam preparando os pedais", disse o piloto ao UOL Esporte.

"Quando o engenheiro falou comigo, só pensei 'agora vamos subir no carro'. Não fiquei tão nervoso, mas mais feliz por poder andar mais cedo do que achava."

Quando entrou no carro, Pietro já sabia que teria pouco tempo para andar, e acabou dando apenas 13 voltas, uma vez que os pedais não estavam bem ajustados para ele. Este é um dos ajustes que a Haas teve que fazer de última hora para acomodar o piloto brasileiro, bem mais baixo do que Magnussen.

"Tive um problema com o pedal na primeira saída e tive que parar. Eles conseguiram consertar e deu tempo de sair outra vez para ver se eu estava confortável com o carro. Dei umas seis ou sete voltas e agora já está tudo preparado para amanhã", disse Fittipaldi, que vê os problemas iniciais pelo lado positivo: vai economizar tempo quando voltar ao cockpit nesta quarta-feira pela manhã.

"Poderia ter acontecido isso amanhã. No final, me senti confortável. Ainda temos algumas coisas para consertar, mas temos toda a noite para fazer isso e já podemos começar 100% amanhã."

É a mesma opinião do chefe da Haas, Guenther Steiner, que afirmou ao UOL Esporte que "ele acabou dando sorte porque agora vamos ter tempo para atender a tudo o que ele relatou na reunião com os engenheiros". O dirigente disse ainda não saber como o imprevisto desta terça-feira vai repercutir no restante do teste para a Haas, uma vez que Pietro inicialmente participaria de uma manhã e uma tarde do treinamento. "Vamos decidir amanhã".

O problema com o encosto de Magnussen é de simples solução para a equipe e o dinamarquês voltará ao carro ao longo do teste, que termina na quinta-feira.

A exemplo do que aconteceu no primeiro dia, a Ferrari dominou a tabela de tempos, desta vez com seu novo piloto, Charles Leclerc. Na quarta-feira, será a vez de Sebastian Vettel voltar ao volante do carro vermelho.
 

Fórmula 1