PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

Hamilton diz que 'perrengues' do início da carreira o inspiraram para penta

Lewis Hamilton, da Mercedes, comemora após garantir penta no GP do México - Tomas Stargardter/AP
Lewis Hamilton, da Mercedes, comemora após garantir penta no GP do México Imagem: Tomas Stargardter/AP

Julianne Cerasoli

Do UOL, na Cidade do México (MEX)

29/10/2018 04h00

Lewis Hamilton fez um campeonato que tinha tudo para ser equilibrado se tornar um título conquistado com um quarto lugar com duas corridas de antecipação. E muito de sua trajetória rumo ao pentacampeonato teve a ver com uma sequência de seis vitórias em sete corridas, entre julho e outubro. E o mais impressionante disso é que, por boa parte deste período, a Mercedes estava deixando a desejar frente à Ferrari.

O time italiano estreou uma atualização de motor muito forte no Canadá, no início de junho, e depois seguiu desenvolvendo o carro em um ritmo que a Mercedes parecia não acompanhar, pelo menos até o final de setembro, quando o time alemão reagiu e os italianos estagnaram.

Porém, mesmo se essa tendência não tivesse se invertido, Hamilton já tinha construído uma vantagem que lhe dava tranquilidade para conquistar o título.

A receita, segundo o inglês, foi simples: reencontrar-se com o espírito da época de kart, quando sua carreira era bancada pelos três empregos do pai e ele ainda morava em um subúrbio na Inglaterra.

“Foi muito duro, mas me lembrou muito de quando eu era criança”, disse Hamilton em exclusividade ao UOL Esporte. “Quando eu comecei a correr, meu kart era muito pior que dos outros. Neste ano, tivemos um carro muito bom, mas eles estiveram na nossa frente. Então isso me fez lembrar da época em que não tinha um bom pacote e estava tentando transformar cada corrida em vitória. Isso ainda está dentro de mim e foi algo que consegui usar neste ano.

Mas isso não seria possível se eu não tivesse muitas pessoas ao meu redor, que continuaram trabalhando muito duro e acreditaram em mim. E espero ficar muitos anos ao lado deles.”

Perguntado qual seria a corrida chave desta fase do campeonato, Hamilton disse que todas as vitórias sem ter o melhor carro foram importantes, mas citou três resultados em especial: suas corridas de recuperação na Inglaterra e na Alemanha, em julho, e quando bateu as Ferrari em casa, no GP da Itália.

“Não houve uma corrida em particular. Tenho certeza que houve algumas importantes, como Alemanha, Itália, ter me recuperado para ser segundo na Inglaterra. Essas foram muito significativas em termos de confiança.”

Hamilton precisava de um sétimo lugar para conquistar o pentacampeonato no último domingo, mas foi quarto no México, em corrida vencida por Max Verstappen.

Fórmula 1