PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

Raikkonen vence nos EUA, Hamilton chega em 3º e adia definição de título

Kimi Raikkonen celebra sua vitoria do GP dos EUA - Jerome Miron/USA TODAY Sports
Kimi Raikkonen celebra sua vitoria do GP dos EUA Imagem: Jerome Miron/USA TODAY Sports

Do UOL, em São Paulo

21/10/2018 16h48

O finlandês Kimi Raikkonen, da Ferrari, se aproveitou de uma largada arrojada e venceu o GP dos EUA de Fórmula 1 neste domingo (21). Max Verstappen, da Red Bull, saiu em 18º no grid para conseguir um surpreendente segundo lugar. O britânico Lewis Hamilton, que havia largado na primeira posição, sofreu com bolhas nos pneus, teve que fazer duas paradas e acabou em terceiro.

Veja a classificação atualizada do Mundial de F1

Sebastian Vettel, vice-líder da temporada, terminou em quarto, mantendo viva a briga pelo título ao menos até o próximo GP, no México. Havia a expectativa de que Hamilton pudesse garantir matematicamente seu pentacampeonato já nesta corrida.

O britânico chegou aos 346 pontos, e ainda pode ser alcançado por Vettel, que tem 276. A diferença está agora em 70 pontos, com 75 em disputa. A briga pelo título segue ao México e ainda pode chegar ao Brasil ou aos Emirados Árabes.

Essa foi a primeira vitória de Raikkonen desde o GP da Austrália em 2013. Com a vitória, a 21ª de sua carreira, ele se tornou o finlandês mais vitorioso da história da Fórmula 1, superando Mika Hakkinen. O piloto de 39 anos está se despedindo da Ferrari, já que ano que vem correrá pela Sauber.

"O mais importante foi fazer a parada no momento certo, apenas uma parada. O equilíbrio do carro estava bom, e foi muito legal ter uma boa batalha, uma boa briga, que é o que todo mundo quer ver", disse Raikkonen.

A corrida

Largando na ponta, Hamilton foi agredido por Raikkonen, que ganhou a posição já na primeira curva aproveitando a vantagem de ter começado com pneus ultramacios. A queda de Hamilton foi logo compensada por mais um erro de Vettel, em uma temporada cheia de falhas individuais e coletivas na Ferrari. Pressionado por Ricciardo, o alemão perdeu o controle de seu carro e rodou na pista.

Hamilton nos EUA - Darren Abate/AP - Darren Abate/AP
Imagem: Darren Abate/AP

Ele não demorou para retornar a sua posição de largada, ultrapassando com facilidade carros do pelotão intermediário. Mas a principal performance ferrarista acabou sendo a de Raikkonen. O finlandês conseguiu segurar Hamilton, retardando sua parada ao máximo para evitar que o líder do campeonato o ultrapassasse e abrisse distância na ponta do grid. A briga foi o ponto alto do domingo.

Quando Hamilton assumiu a liderança, a estratégia da Ferrari passou a ser contar com duas paradas do britânico e fazer seu carro mais rápido atacá-lo. Dentro desse plano, a equipe pediu para Vettel, que tinha os pneus desgastados, dar passagem a Raikkonen depois de sua parada, e o finlandês começou a caçar Hamilton.

O tempo de volta de Hamilton começou a cair, dando sinais de que seus pneus não aguentariam. Bolhas começaram a se formar na superfície, e a distância para Raikkonen, o segundo colocado, ia ficando cada vez menor. Vettel, por sua vez, pisou fundo, tentando se aproximar de Verstappen e Botas, os pilotos que o separavam dos dois primeiros colocados.

Após parada, Hamilton acelera

A estratégia da Ferrari começou a dar certo na 37ª volta, quando a Mercedes chamou Hamilton para sua segunda parada. O britânico voltou na quarta posição, logo à frente de Vettel. Nessa configuração, o título ficaria para a corrida seguinte. “Dê tudo”, orientou o mecânico da Mercedes no rádio de Hamilton.

Ele ultrapassou Bottas, mas precisava ganhar mais uma posição para garantir o título antecipado. Verstappen, que havia largado no meio do grid e assumido a segunda colocação, fez uma pilotagem defensiva e segura para garantir seu lugar no pódio, a despeito das investidas do líder do campeonato.

A performance do carro de Hamilton não conseguiu levar o piloto a uma posição mais ofensiva. Na penúltima volta, Hamilton deu tudo para ultrapassar Verstappen, mas não conseguiu. A decisão do título ficará para as três últimas corridas do ano.

Veja o resultado final do GP dos EUA

Fórmula 1