PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

Ex-presidente da Ferrari, Sergio Marchionne morre aos 66 anos

Piero Cruciatti/AFP
Imagem: Piero Cruciatti/AFP

Do UOL, em São Paulo

25/07/2018 07h43

Afastado há quatro dias da presidência da Ferrari por problemas de saúde, Sergio Marchionne morreu nesta quarta-feira (25) aos 66 anos em decorrência de complicações de uma cirurgia a que foi submetido recentemente.

"Infelizmente, o que temíamos aconteceu. Sergio Marchionne, homem e amigo, se foi", confirmou o novo presidente do grupo Fiat-Chrysler, John Elkann, do qual a Ferrari faz parte.

A saúde de Marchionne se deteriorou rapidamente nos últimos dois meses por conta de um câncer de pulmão.

Diante da piora no quadro de saúde depois de uma cirurgia, a empresa anunciou mudanças no dia 21 de julho, com John Elkann sendo anunciado como presidente do grupo Fiat-Chrysler. A Ferrari, por sua vez, terá como diretor executivo Louis Camilleri. Marchionne acumulava os dois cargos até então.

Marchionne assumiu a presidência do grupo em 2014 e, embora tenha sido extremamente importante para a recuperação financeira da Fiat, exercia forte pressão dentro da equipe Ferrari na Fórmula 1, mesmo sem ter muita experiência no esporte.

O ítalo-canadense era conhecido pela linha dura e, em seu peroído na presidência, a escuderia italiana não conseguiu o título da Fórmula 1.

Fora das pistas, Marchionne ficou conhecido pelas duras negociações com a Liberty Media, grupo que comprou a Fórmula 1 no final de 2016. Por inúmeras vezes, Marchionne ameaçou tirar a Ferrari da catregoria caso os benefícios do time não fossem mantidos. Enquanto a Liberty tenta implementar um esquema de distribuição de renda mais igualitário, o presidente da Fiat defendia que a Scuderia continuasse como o time que mais recebe dinheiro vindo dos direitos comerciais e mantivesse outras regalias, como o direito de veto a regras.

Para a escuderia, a mudanças no comando leva vários pontos de interrogação. Não se sabe qual será o nível de influência ou o estilo de comando do novo CEO da Ferrari. Outra dúvida que fica é em relação à escolha do companheiro de Sebastian Vettel para a próxima temporada. Marchionne exercia forte pressão para a contratação de Charles Leclerc para o lugar de Kimi Raikkonen.

A mudança no comando da companhia acontece exatamente na metade de um campeonato de altos e baixos tanto para a Ferrari. Sebastian Vettel perdeu a liderança do Mundial de Pilotos no último fim de semana e agora tem 17 pontos de desvantagem para Lewis Hamilton.

Massa lamenta

Em seu Instagram, o brasileiro Felipe Massa escreveu uma mensagem lamentando a morte de Marchionne,com quem conviveu durante sua passagem na Ferrari. "Dia Muito triste ! Que vc esteja em um ótimo lugar Sergio ! 🙏🏻 Que Deus ilumine muito a sua família.

Fórmula 1