PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

Se me dessem uma motosserra, eu retirava o halo, diz chefe da Mercedes

Wolff diz que peso extra com o halo comprometerá a maneira de guiar um F-1 - Matthew Childs/Reuters
Wolff diz que peso extra com o halo comprometerá a maneira de guiar um F-1 Imagem: Matthew Childs/Reuters

Do UOL, em São Paulo

22/02/2018 10h49

Toto Wolff não esconde seu descontentamento com a adoção do halo nos carros para a temporada da Fórmula 1. O chefe da Mercedes resumiu sua reprovação com o utensílio de segurança: “Se me dessem uma motosserra, eu retirava o halo”.

Segundo Wolff, a adoção de medidas de segurança é válida e necessária, mas o halo está longe de ser ideal neste contexto.

“Precisamos criar uma solução melhor. É um peso maciço no topo do carro. Você prejudica muito o centro de gravidade com essa coisa”, disse ao “Motorsport”.

O halo pesa sete quilos. A Mercedes informa que o material é capaz de suportar grandes impactos. O halo é capaz de aguentar um “ônibus de Londres” sobre ele, informa a escuderia alemã.

Wolff reforça o discurso de que o novo aparato de segurança traz um problema na questão da dirigibilidade.

“É impressionante você olhar para os dados de que você poderia colocar um ônibus sobre o halo. Estamos falando de um carro de Fórmula 1”.

Fórmula 1