PUBLICIDADE
Topo

Fórmula 1

Bottas "pistola", Kimi sem bebida e Verstappen boca-suja; veja frases

Valtteri Bottas cumprimenta seu companheiro Lewis Hamilton, que venceu o GP da Hungria - AP Photo/Laszlo Balogh
Valtteri Bottas cumprimenta seu companheiro Lewis Hamilton, que venceu o GP da Hungria Imagem: AP Photo/Laszlo Balogh

Do UOL, em São Paulo

30/07/2018 04h00

O finlandês Valtteri Bottas teve participação fundamental na vitória de seu companheiro de Mercedes Lewis Hamilton no GP da Hungria. Na segunda posição, Bottas segurou, até quase o fim da corrida, as Ferraris de Sebastian  Vettel e Kimi  Raikonnen e permitiu ao companheiro se manter na ponta sem ser incomodado até as últimas voltas da corrida.

Enquanto teve pneus, Bottas segurou Vettel e só foi ultrapassado nas cinco voltas finais. Mas como não havia mais tempo, o alemão não conseguiu tirar a vitória de Hamilton, que abriu 24 pontos na liderança do Mundial de Pilotos.

Mas o finlandês, que terminaria na quinta posição, não gostou quando o chefe da Mercedes comentou sua atuação para a equipe após a prova. “Tem um gosto meio agridoce”, disse Toto Wolf à Sky Sports. “Valtteri merecia um pódio porque ele foi um escudeiro sensacional.” [Wolf usou a palavra wingman, que pode ser traduzida como escudeiro, ajudante ou companheiro.]

A temporada da Fórmula 1 agora entra de férias e volta em três semanas com o Grande Prêmio da Bélgica, no dia 26 de agosto. 

Veja frases que marcaram o GP da Hungria:

  • Bottas: "Escudeiro machuca. Não vejo pontos positivos para mim."

    Ao ser questionado sobre a declaração do chefe, Bottas mostrou que algo não vai bem na garagem da Mercedes. "Primeiro de tudo, escudeiro machuca. Segundo, não vejo pontos positivos para mim nessa corrida. Poderíamos controlar o ritmo e minha posição, mas aí os pneus traseiros começaram a acabar. Tentei defender do melhor jeito que eu podia, o mais agressivamente que eu podia, mas acabou acontecendo aquela bagunça no fim, com asa dianteira quebrada e tudo mais", disse ele se referindo a um choque com Vettel.

    Com 81 pontos atrás de Hamilton na metade do campeonato, Bottas disse que precisa conversar com a equipe sobre ser um "escudeiro" do britânico. "Acho que precisamos falar sobre essa corrida. Já passamos da primeira metade do ano e a diferença de pontos é grande, mas, com certeza, a equipe vai decidir em algum momento".

  • Hamilton: "Deter Vettel seria muito, muito difícil"

    Lewis Hamilton, por sua vez, reconheceu a importância do papel defensivo desempenhado por Bottas a seu favor. Sebastian Vettel apostou em ultrapassar o finlandês com uma parada rápida nos boxes que lhe permitisse voltar à frente e na caça de Hamilton. Mas a Ferrari se atrapalhou e devolveu o alemão à pista atrás de Bottas.

    "Se ele tivesse voltado na frente de Valtteri, teria sido muito, muito difícil", admitiu Hamilton à Sky Sports. "Ele provavelmente chegaria em mim em umas cinco voltas. Eu seria capaz de detê-lo? Eu teria que brigar por isso."

  • Vettel: "Eu conseguiria chegar em Hamilton, mas não ultrapassá-lo."

    Mas Vettel, ao ser questionado sobre a possibilidade de vencer a prova caso tivesse voltado dos boxes à frente de Bottas, não mostrou confiança em sua capacidade de superar o líder do campeonato. "Acho que o Lewis tinha muita coisa em mãos. Nós provavelmente teríamos o alcançado, mas não passado por ele. Você viu que no final eu estava muito mais rápido que o Valtteri, mas inicialmente não consegui ultrapassar. Então tive que esperar pelas dez voltas finais".

  • Verstappen: "Que piada essa m****!"

    Apesar da boa corrida de recuperação de Daniel Ricciardo, que começou em 12º e terminou em quarto, a Red Bull teve um fim de semana ruim em Hungaroring. O holandês Max Verstappen desabafou no rádio da equipe após uma falha no motor Renault tê-lo obrigado a abandonar a prova, ainda no começo.

    "Que piada essa m****! Toda essa p**** de tempo perdido com essa m****, honestamente!", disse o piloto de 20 anos. Foi a verbalização de uma irritação que já vem crescendo durante toda a temporada em relação aos motores Renault. A Red Bull já anunciou o fim do casamento com a fabricante francesa. Em 2019, os austríacos vão correr com motor Honda.

  • Ferrari: "Não, Kimi, você não vai ter a bebida"

    A Ferrari parece levar a sério as campanhas sobre não beber e dirigir. No caso da prova do domingo, a equipe italiana cometeu um erro de principiante ao esquecer de conectar a mangueira que liga a garrafa de água no cockpit de Kimi Raikonnen com a boca do piloto. O diálogo, captado pela transmissão oficial, foi um alívio cômico na modorrenta corrida em Budapeste, onde fez até 34ºC na tarde de domingo.

    Kimi: "Minha bebida. Ela está ligada agora ou não?"
    Mecânico: "Não, Kimi. Nós esquecemos de ligar a bebida. Desculpe."
    Kimi: "Não, não. Minha garrafa, ela está ligada ou não"
    Mecânico: "Não, Kimi, você não vai ter a bebida. Desculpe."

    Ao final da prova, com o pódio garantido na última volta após uma ultrapassagem sobre Valtteri Bottas, o "homem de gelo" disse que o incidente com a falta de água foi um "problema menor". "É legal ter um pouco de água na boca de vez em quando", disse ele, bem-humorado.

Fórmula 1