PUBLICIDADE
Topo

Bruno Soares e Mate Pavic batem croata e holandês e conquistam o US Open

Getty Images
Imagem: Getty Images
Alexandre Cossenza

Alexandre Cossenza é bacharel em direito e largou os tribunais para abraçar o jornalismo. Passou por redações grandes, cobre tênis profissionalmente há oito anos e também escreve sobre futebol. Já bateu bola com Nadal e Federer e acredita que é possível apreciar ambos em medidas iguais. Contato: ac@cossenza.org

Colunista do UOL

10/09/2020 17h43

Uma parceria que demorou a engrenar finalmente alcançou seu objetivo. Bruno Soares e o croata Mate Pavic derrotaram o holandês Wesley Koolhof e o também croata Nikola Mektic por 7/5 e 6/3, nesta quinta-feira, e conquistaram o título da chave de duplas do US Open.

É o primeiro troféu de slam que os dois levantam como parceria, mas o sexto da carreira de Soares. O mineiro de 38 anos já tinha no currículo as conquistas do US Open e do Australian Open de 2016 - ambos ao lado do britânico Jamie Murray - e mais três títulos nas duplas mistas: US Open em 2012 (com a russa Ekaterina Makarova) e 2014 (com a indiana Sania Mirza) e Australian Open em 2016 (com a russa Elena Vesnina). Para Pavic, é a segunda conquista nas duplas e a quarta no total. Ele venceu o Australian Open de 2018 junto com o austríaco Oliver Marach e também foi campeão nas mistas em Nova York em 2016 e em Melbourne em 2018.

A parceria Soares/Pavic não teve grandes resultados imediatamente. Os dois se juntaram na temporada de grama de 2019 e perderam quatro das primeiras seis partidas que disputaram. Aos poucos, porém, os resultados começaram a aparecer. Ainda no ano passado, eles conquistaram o Masters 1000 de Xangai, derrotando Marcelo Melo e Lukasz Kubot na final, e em seguida foram vice-campeões do ATP 250 de Estocolmo.

Este ano, Soares e Pavic ainda buscavam uma grande campanha. Eles foram eliminados do Australian Open nas oitavas de final, perderam nas quartas no Rio Open e caíram na estreia em Dubai. Quando o circuito retornou, brasileiro e croata perderam na primeira rodada do Masters de Cincinnati.

Como aconteceu

O duelo começou bem equilibrado, com os dois times aproveitando bem os games de saque. O único ameaçado na primeira metade do set foi Koolhof, que viu Bruno disparar dois winners de devolução no segundo game. Mais tarde, com o placar em 2/3, foi a vez de Pavic encaixar duas ótimas devoluções. A primeira foi indefensável, e a segunda preparou o ponto para Soares matar junto à rede. Brasileiro e croata tiveram um break point, mas Soares devolveu o saque para fora, e Koolhof confirmou o serviço pouco depois. O que se ensaiava acabou acontecendo pouco depois. No 12º game, com Mektic sacando, Pavic e Soares brilharam. O primeiro foi responsável por conquistar o break point. O brasileiro, então, acertou uma devolução vencedora, fechando a parcial em 7/5.

No intervalo entre as parciais, o teto retrátil do Estádio Arthur Ashe foi fechado, mas pouco mudou imediatamente. Soares e Pavic continuaram devolvendo bem e pressionando especialmente o serviço de Koolhof, que conseguiu salvar dois break points já no segundo game. No sexto game, mais pressão no saque do holandês. Primeiro, com um winner de devolução do croata. Depois, Soares forçou um erro de voleio de Koolhof. Dois pontos depois, com mais uma chance de quebra, Pavic acertou um lob perfeito para capitalizar e colocar o time à frente por 4/2. Impecáveis, brasileiro e croata não vacilaram e fecharam o jogo três games depois, sem ceder mais break points.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.