PUBLICIDADE
Topo

Rodolfo Rodrigues

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Rodolfo Rodrigues: Palmeiras ou Flamengo podem ganhar o título com recordes

Pedro e Danilo disputam lance em Palmeiras x Flamengo pelo Brasileirão - Marcello Zambrana/AGIF
Pedro e Danilo disputam lance em Palmeiras x Flamengo pelo Brasileirão Imagem: Marcello Zambrana/AGIF
Conteúdo exclusivo para assinantes
Rodolfo Rodrigues

Rodolfo Rodrigues é apaixonado por números e estatísticas no futebol. Foi repórter do Lance!, editor da Placar e do prêmio Bola de Prata ESPN e é autor de dez livros sobre futebol.

Colunista do UOL

27/11/2021 04h00

Palmeiras e Flamengo vão decidir a Copa Libertadores de 2021 neste sábado (27), em Montevidéu, no Uruguai, às 17h. Quem levar a taça irá conquistar a competição pela terceira vez e entrará na lista dos clubes brasileiros com mais títulos, ao lado de Grêmio, Santos e São Paulo.

Além disso, o campeão de 2021 poderá alcançar recordes e marcas importantes na história do maior torneio de clubes da América do Sul. O Palmeiras, detentor do título de 2020, chegou a sua segunda final e caso vença a decisão, irá igualar a marca que apenas dois outros brasileiros conseguiram até hoje: o Santos, de Pelé, bicampeão em 1962 e 1963, e o São Paulo de Telê Santana e Raí, bicampeão em 1992 e 1993.

Nesse século 21, poderá ainda ser o primeiro bicampeão e o primeiro a ganhar duas vezes o torneio depois de 20 anos —o último, depois do Boca Juniors, da Argentina, vencedor em 2000 e 2001. Além disso, o time de Abel Ferreira detém um recorde histórico no torneio, desde 1960, com 14 jogos sem derrota como visitante (sem contar as finais de 2020 e 2021, em campo neutro).

Brasileiro com mais participações na história do torneio (22, já contando a edição de 2022), o Palmeiras, além de ser o brasileiro com mais finais (6), poderá ser um dos brasileiros com mais títulos e vai manter ainda sua marca de ser o clube do Brasil com mais jogos (210, contando a final de 2021), mais vitórias (116) e mais gols feitos (390).

Do lado do Flamengo, o título também pode render recordes. Atualmente, o Rubro-Negro divide a maior sequência invicta da história da Libertadores com 18 jogos sem derrota, ao lado do Sporting Cristal-PER, que alcançou essa marca nos anos 70. Único clube a vencer todos os jogos das oitavas, quartas e semifinal, o Fla pode ser o primeiro campeão com 100% de aproveitamento nos mata-matas em uma única edição com quatro fases eliminatórias (oitavas, quartas, semifinal e final).

Sem perder nesta edição, o Flamengo pode ser o primeiro campeão invicto da Libertadores desde 2012 e igualar a marca do Santos, de Pelé, de 1963, e do Corinthians, de Tite, de 2012. Com 32 gols feitos, o Flamengo pode também ter o melhor ataque em uma única edição no novo formato da Libertadores, desde 2000. O recordista é o São Paulo, de 2005, que marcou 34 gols.

Com o título, o Flamengo seguiria com 100% de aproveitamento em finais, sendo o único brasileiro com mais de uma final disputada a vencer todas as finais. Na história do torneio, o único time com mais de uma final disputada e com 100% de aproveitamento em todas elas é o Independiente-ARG, sete vezes campeão

Gabigol, artilheiro com 10 gols, está próximo de ser o principal goleador do torneio pela segunda vez (foi em 2019 com 9 gols) e se tornar o primeiro brasileiro a ser duas vezes artilheiro da Libertadores. Além disso, já é o primeiro a marcar mais de 10 gols em uma única edição desde 2007, quando o paraguaio Cabañas também marcou 10 gols pelo América-MEX. Nesse século 21, outro que marcou 10 gols foi Rodrigo Mendes, pelo Grêmio. Entre os brasileiros, o recordista é Luizão, com 15 gols pelo Corinthians em 2000.

Renato Gaúcho, que venceu os seis jogos pelo Flamengo até aqui nessa Libertadores, pode ser o técnico com mais vitórias na história da Libertadores (51, uma a mais que o colombiano Gabriel Ochoa Uribe). Além disso, poderá entrar na lista dos brasileiros com mais títulos, ao lado de Lula, Telê Santana, Luiz Felipe Scolari e Paulo Autuori.

Por outro lado, Abel Ferreira poderá ser o primeiro técnico estrangeiro a ser bicampeão e também o primeiro bicampeão desde o argentino Carlos Bianchi em 2000 e 2001.

E durante a final, outros recordes poderão ainda surgir. Jogaço imperdivel e que certamente ficará lembrada por tantas marcas importantes em jogo.

Você pode me encontrar também no twitter (@rodolfo1975) ou no Instagram (futebol_em_numeros)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL