PUBLICIDADE
Topo

Rodolfo Rodrigues

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Rodolfo Rodrigues: G9 no Brasileirão para a Libertadores 2022 é demais!

Conteúdo exclusivo para assinantes
Rodolfo Rodrigues

Rodolfo Rodrigues é apaixonado por números e estatísticas no futebol. Foi repórter do Lance!, editor da Placar e do prêmio Bola de Prata ESPN e é autor de dez livros sobre futebol.

Colunista do UOL

24/09/2021 12h05

Com a provável final entre clubes brasileiros na Libertadores e na Copa Sul-Americana de 2021, o número de clubes do Brasil classificados para a próxima edição da Libertadores deverá ser recorde, com 9 participantes. Com a vaga ainda ao campeão da Copa do Brasil, o Brasileirão deverá abrir vaga para a Libertadores 2022 até o 9º colocado. Ou seja, teremos 45% dos times que disputam a Série A 2021 na próxima Liberta.

Flamengo e Atlético-MG, que brigam ainda por três títulos (Brasileirão, Copa do Brasil e Libertadores), praticamente estão garantidos na Fase de Grupos da próxima Libertadores. O Palmeiras, vice-líder do Brasileirão e ainda vivo na Libertadores, é outro que deverá assegurar seu lugar na Fase de Grupos. Caso Galo ou Flamengo fiquem com os títulos da Libertadores e Copa do Brasil e ainda entre os 4 primeiros do Brasileirão, o G4 do Série A passa a ser G6.

Hoje, nesse G6, temos ainda Fortaleza (que está também brigando pelo título da Copa do Brasil), Bragantino (que briga pelo titulo da Copa Su-Americana) e Corinthians. Mais abaixo, temos Inter em 7º, Fluminense em 8º e Cuiabá na 9ª posição. O Athletico-PR, que luta ainda pelo título da Copa Sul-Americana e Copa do Brasil, é o 10º colocado no Brasileirão, mas pode ainda figurar no G9.

Na atual edição da Libertadores 2021, o Brasil contou com 8 participantes e conseguiu colocar o número recorde de 5 clubes nas quartas de final e 3 na semifinal. De quebra, poderá fazer ainda a segunda final seguida com clubes daqui. E pela primeira vez poderá fazer a final também entre dois clubes na Copa Sul-Americana.

A Conmebol já estuda mudanças no regulamento da Libertadores para evitar essa hegemonia brasileira na Libertadores. A diminuição de vagas é uma das alternativas. Acho justo. Nove de 20 clubes da Série A do Brasileirão já é demais. A banalização por uma vaga no principal torneio de clubes da América do Sul torna a competitividade baixa. Praticamente qualquer time com uma campanha meia-boca pode se classificar para a Libertadores.

Você pode me encontrar também no twitter (@rodolfo1975) ou no Instagram (futebol_em_numeros)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL