PUBLICIDADE
Topo

Rodolfo Rodrigues

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

O que esperar do Barcelona, sem Messi, para a temporada 2021/22

Sergio Agüero é a principal novidade do Barcelona para 2021/22 - Divulgação
Sergio Agüero é a principal novidade do Barcelona para 2021/22 Imagem: Divulgação
Conteúdo exclusivo para assinantes
Rodolfo Rodrigues

Rodolfo Rodrigues é apaixonado por números e estatísticas no futebol. Foi repórter do Lance!, editor da Placar e do prêmio Bola de Prata ESPN e é autor de dez livros sobre futebol.

Colunista do UOL

14/08/2021 04h00

Depois de 17 temporadas, o Barcelona vai começar uma sem o maior jogador de sua história, o argentino Lionel Messi, que não teve o contrato renovado e partiu para PSG. Com uma dívida perto da casa de 1 bilhão de euros, o Barça vive um período de completa instabilidade, bem longe do que já foi na era de Messi.

Terceiro colocado no último Campeonato Espanhol, sua pior colocação em 12 anos, o Barcelona caiu nas oitavas de final da Liga dos Campeões na temporada passada, algo que não acontecia desde 2007. E isso contando ainda com Lionel Messi.

Para a temporada 2021/22, o clube catalão perdeu, além do seu camisa 10 e maior artilheiro de sua história, apenas jogadores reservas, como o atacante português Trincão (emprestado para o Wolverhampton), o lateral esquerdo Junior Firpo (foi para o Leeds), além do meia Carles Aleña (Getafe) e do zagueiro Todibo (Nice).

Por outro lado, se reforçou com o lateral direito brasileiro Emerson Royal, ex-Atlético-MG e Betis (que chegou a ser convocado recentemente por Tite), o zagueiro espanhol Eric García (ex-Manchester City) e os atacantes Memphis Depay (ex-Lyon) e Agüero (outro ex-City). Destes, o Barcelona gastou apenas para comprar o brasileiro Emerson (9 milhões de euros).

Clube que já investiu mais de 100 milhões de euros nas últimas temporadas, o Barcelona vive hoje outra realidade. Tanto, que suas vendas (28,5 milhões de euros) superaram de longe o valor investido em compras. E isso que não ganhou um euro com a saída de Messi.

Para essa nova temporada, o Barcelona chega com o oitavo elenco mais valioso do mundo (763 milhões de euros), atrás do Real Madrid, o sexto (848,5 milhões de euros) e pouco à frente do Atlético de Madri (729,4 milhões de euros), o nono dessa lista, segundo o site Transfermakrt.

Sob o comando do técnico holandês Ronald Koeman, que vai para sua segunda temporada pelo clube, o Barcelona não chega como grande favorito ao título espanhol como nas temporadas anteriores. Hoje, o Atlético de Madri e o Real Madrid largam na frente nesse início de campeonato. Para a Liga dos Campeões, fica difícil acreditar que esse time passe das quartas de final. Não que o elenco seja de todo ruim, mas o ambiente pesado, principalmente após a saída de Messi, deixa em dúvida o futuro do clube.

Provável time do Barcelona para a temporada 2021/22 - SofaScore - SofaScore
Provável time do Barcelona para a temporada 2021/22
Imagem: SofaScore

No elenco, Koeman tem boas opções em todos os setores. No gol, o alemão Ter Stegen segue como titular absoluto, tendo o brasileiro Neto como seu reserva imediato. Na lateral direita, Emerson deverá assumir a titularidade, deixando Sergiño Dest e Sergi Roberto para trás. Na zaga, o experiente Piqué, de 34 anos, poderá ter a companhia do espanhol Eric García. Mas o uruguaio Ronald García segue como favorito nesse início de temporada. No setor, o Barça tem ainda os franceses Lenglet e Umtiti e o espanhol Mingueza. Já para a lateral esquerda, Jordi Alba começa como a única opção.

No meio-campo, o Barça segue com o volante Sergio Busquets na contenção, com o bósnio Pjanic como seu reserva imediato. Na criação, estão o holandês De Jong (que atua mais recuado também) e Pedri, que atou na última euro e também nas Olimpíadas pela seleção espanhola. O brasileiro Philippe Coutinho, que foi mal na última temporada, deve começar no banco.

Já no ataque, o francês Griezmann terá a companhia de Agüero e Depay, dois grandes finalizadores. O francês Dembélé, mais velocista e menos habilidoso, fica como opção, assim como a promessa espanhola Ansu Fati. Já o dinamarquês Braithwaite deverá perder espaço com a chegada dos novos contratados.

Esqueça aquele Barcelona de Ronaldinho Gaúcho, de Xavi e Iniesta e de Messi. A realidade agora é outra. Mas é esperar para ver.

Você pode me encontrar também no twitter (@rodolfo1975) ou no Instagram (futebol_em_numeros)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL