PUBLICIDADE
Topo

Gabriel Vaquer

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Por covid-19, Globo muda cobertura da Euro e só terá jornalistas "europeus"

Marcelo Courrege: escalado para cobrir a Eurocopa pela Globo por morar em Londres - Reprodução/Twitter/MarceloCourrege
Marcelo Courrege: escalado para cobrir a Eurocopa pela Globo por morar em Londres Imagem: Reprodução/Twitter/MarceloCourrege
Gabriel Vaquer

Gabriel Vaquer cobre mídia esportiva desde 2014. No UOL Esporte, conta detalhes do evento onde seu time joga e onde seu profissional de TV esportiva favorito vai trabalhar.

Colunista do UOL

14/05/2021 19h24

A Globo mudou drasticamente a lista de quem será enviado para cobrir a Eurocopa, que começa no mês que vem e terá transmissão exclusiva na emissora. Na noite desta sexta-feira (14), o Grupo decidiu escalar para a cobertura somente profissionais que tenham passaporte europeu ou que já residem no continente. O motivo é a dificuldade de enviar brasileiros para a Europa por causa da pandemia do novo coronavírus.

Hoje, o Brasil está na lista de alto risco de todos os países da Europa para contágio da covid-19. Antes, o planejamento da Globo considerava a possiblidade de seus profissionais fazerem quarentena em outro país por 20 dias e depois mais 15 dias nos países sedes dos jogos. A estratégia ficou inviável com as restrições a brasileiros em outros países.

Para ter uma equipe digna para um grande evento, a Globo decidiu procurar repórteres que tenham passaporte europeu, o que facilita um pouco mais a entrada - a quarentena pode ser feita apenas no país para qual a pessoa irá viajar. Quem já está na Europa será mantido por ser cidadão europeu.

Com isso, apenas sete profissionais farão a cobertura da Eurocopa pela Globo. Na lista divulgada três semanas atrás eram 15. A principal mudança é a inclusão do repórter Felipe Brisolla, que antes estava escalado para os Jogos Olímpicos de Tóquio. Ele tem passaporte europeu, o mesmo caso de Raphael de Angeli, que já estava escalado anteriormente.

Outros escalados por causa do passaporte europeu foram os repórteres cinematográficos Fernando Ferro e Jordi Bordalha. Eles se juntam a equipe da Globo que já está sediada em Londres e conta com Marcelo Courrege, Renata Heilborn e Rogerio Romera. Antes escalados para a Euro, o repórter Felipe Diniz ficará no Brasil e a jornalista Júlia Guimarães será enviada para Tóquio para cobrir as Olimpíadas.

Em comunicado, o diretor responsável do Esporte da Globo, Renato Ribeiro, explicou o fato e agradeceu a compreensão dos profissionais que não irão mais para a cobertura.

A Eurocopa será uma exclusividade da Globo na TV brasileira entre os meses de junho e julho. Os principais jogos serão exibidos em TV aberta, enquanto todos os jogos serão mostrados no SporTV.

Confira o comunicado de Renato Ribeiro na íntegra:

"Caros,

Como escrevi há três semanas, quando anunciamos as equipes que cobririam os eventos, tudo poderia sofrer alterações por conta da pandemia. Nesse momento, enfrentamos uma enorme dificuldade de enviar brasileiros à Europa. Só é permitida a entrada de residentes ou de cidadãos europeus e, mesmo assim, sob quarentena. Por isso, tivemos que tomar a decisão de mudar nossa equipe para a Euro. Ela será menor e formada por quem tem dupla nacionalidade ou é residente na Europa. Os repórteres Raphael de Angeli e Felipe Brisolla e os repcines Fernando Ferro e Jordi Bordalba serão os enviados e se juntarão aos correspondentes de Londres: Marcelo Courrege, Renata Heilborn e Rogerio Romera.

Agradeço ao Brisolla pela troca dos Jogos Olímpicos pela Euro. Com isso, Júlia Guimarães passa a integrar o time de Tóquio e o repcine Sinclair Jr irá à Copa América no lugar do Jordi.

E também agradeço a todos que estavam previamente escalados para a Euro pela compreensão nesse momento delicado pelo qual passamos.

Um abraço,

Renato"