PUBLICIDADE
Topo

Gabriel Vaquer

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Band define cotas de patrocínio e pode arrecadar até R$ 120 milhões com F1

Lewis Hamilton na Fórmula 1: Band quer até R$ 120 milhões em patrocínios - Anadolu Agency/Getty Images
Lewis Hamilton na Fórmula 1: Band quer até R$ 120 milhões em patrocínios Imagem: Anadolu Agency/Getty Images
Gabriel Vaquer

Gabriel Vaquer cobre mídia esportiva desde 2014. No UOL Esporte, conta detalhes do evento onde seu time joga e onde seu profissional de TV esportiva favorito vai trabalhar.

02/03/2021 04h00

A Band está no mercado em busca de patrocinadores para a Fórmula 1 —as transmissões começam no fim de mês de março. A coluna apurou que a cota de patrocínio oferecida ao mercado publicitário é de R$ 20 milhões. Ao todo, são seis cotas disponíveis.

Com isso, a Band pode conseguir até R$ 120 milhões com a categoria. No entanto, vale ressaltar que é normal que as emissoras concedam descontos em relação ao valor divulgado no plano comercial —a Globo costuma ser exceção. Em alguns casos, essas reduções chegam na casa de 80% a 90% do custo previsto em tabela. Como era esperado, a cota para patrocinadores da Band é menor que a pedida pela Globo até o ano passado, quando exibia a categoria.

Em 2020, a Globo pediu R$ 98,950 milhões em tabela —pouco acima dos R$ 95,1 milhões da temporada de 2019. Das seis cotas disponibilizadas, cinco foram vendidas (Cervejaria Petrópolis-Itaipava, Nivea, Renault, Santander e TIM), totalizando quase R$ 500 milhões arrecadados. A Band procurou os parceiros que anunciaram na Globo no ano passado para saber se tinham interesse de continuar com a categoria em outra emissora. Até agora, não fechou com nenhuma das empresas.

A prioridade tem explicação: os anunciantes sempre deixaram claro para a Liberty Media que anunciariam na categoria independentemente do canal de transmissão em TV aberta em 2021. No contrato, a Band se compromete a fazer transmissões em diversas plataformas —em TV aberta, internet e rádio. O fato agradou a Liberty Media, que não queria abrir mão da exibição de corridas em uma rede aberta no Brasil.

Pelo acordo, metade do valor arrecadado pela Band com patrocínios será repassado para a Liberty Media, dona da categoria. Além da exposição em TV aberta, o patrocínio também garante participação nos treinos livres e oficiais, que serão transmitidos no BandSports.

Além da F1, a Band também transmite a Fórmula 2 e a Fórmula 3 no BandSports, seu canal esportivo na TV por assinatura. Na próxima quinta (4), a emissora paulista vai promover uma coletiva de imprensa em São Paulo para apresentar com detalhes seu acordo com a Liberty Media para a Fórmula 1.