PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Lance Armstrong chega a acordo e paga US$ 5 milhões a correios dos EUA

Ex-ciclista correu a Volta da França com patrocínio da US Postal Service entre 1999 e 2004; empresa reclamava danos à imagem - Doug Pensinger/Allsport/Getty Images
Ex-ciclista correu a Volta da França com patrocínio da US Postal Service entre 1999 e 2004; empresa reclamava danos à imagem Imagem: Doug Pensinger/Allsport/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

19/04/2018 18h00

O ex-ciclista Lance Armstrong chegou a um acordo e pagará US$ 5 milhões (pouco menos de R$ 17 milhões em valores atuais) para encerrar um processo movido contra ele pelo Governo Federal dos EUA pelo período no qual era patrocinado pelo United States Postal Service (USPS), a empresa norte-americana de correios. A informação foi divulgada nesta quinta-feira por Elliot Peters, advogado de Armstrong, ao jornal The New York Times.

O acordo encerra anos de disputa legal entre Lance Armstrong e o Governo dos EUA, que acusava o ex-ciclista de ter provocado danos à imagem do US Postal Service por conta dos casos de doping nos quais se envolveu. Armstrong negou o uso de substâncias ilegais durante anos, mas admitiu em 2013 o uso durante os sete títulos na Volta da França entre 1999 e 2005 – nas seis primeiras, com o patrocínio da empresa. Os títulos de Armstrong na Volta da França acabaram cassados em 2012, durante investigação.

“Temos o mesmo ponto de vista a respeito deste caso desde sempre, que é uma farsa. A imagem da United States Postal Service não foi manchada”, disse Peters por telefone ao jornal. A USPS assinou dois contratos de patrocínio com o atleta no período de 1999 a 2004, ambos com cláusulas antidoping.

Caso perdesse o julgamento, Armstrong poderia pagar valores que chegaria a US$ 100 milhões. O processo seria julgado em duas semanas. Por enquanto, Promotoria e o próprio Lance Armstrong não comentam o desfecho do caso.

“Isto encerra toda litigância contra Armstrong referente ao fato de ele ter assumido em 2013 que, durante sua carreira como ciclista profissional, utilizou substâncias proibidas”, afirmou ainda o escritório de Peters em comunicado oficial. O ex-ciclista ainda pagará US$ 1,65 milhão (R$ 5,60 milhões na cotação atual), valor referente às despesas legais.

Esporte