PUBLICIDADE
Topo

Basquete

Nenhum atleta da NBA sofreu tanto com a covid-19 como Karl-Anthony Towns

Jogador da NBA, Karl-Anthony Towns perdeu a mãe e outros seis parentes para a covid-19 - Steve Mitchell/USA Today
Jogador da NBA, Karl-Anthony Towns perdeu a mãe e outros seis parentes para a covid-19 Imagem: Steve Mitchell/USA Today

Bernardo Gentile

Do UOL, no Rio de Janeiro

07/01/2021 04h00

A vida ficou um tanto quanto amarga para Karl-Anthony Towns desde abril de 2020. Mais precisamente no dia 13 de abril, o jogador do Minnesota Timberwolves sentiu o mundo desmoronar com a morte da mãe Jacqueline Towns, vítima da covid-19. Ela foi contaminada cerca de um mês antes de perder a batalha para o vírus, que minou sua saúde rapidamente.

Enquanto a mãe do jogador piorava a cada dia, o pai, Karl Towns Sr, também infectado, teve rápida recuperação e conseguiu voltar para os braços da família. A morte de Jacqueline, nascida na República Dominicana, foi confirmada pela equipe do centro-oeste dos Estados Unidos.

"Jackie era muitas coisas para muitas pessoas - esposa, mãe, filha, avó, irmã, tia e amiga. Matriarca da família Towns, ela era uma fonte incrível de força; uma pessoa ardente, carinhosa e extremamente amorosa, que tocava a todos que conhecia", escreveu a família em trecho do documento.

A sexta temporada como jogador profissional na NBA será diferente. Na primeira fila, Towns não poderá entrar em quadra e dar o tradicional abraço em sua mãe, que comparecia em todos os jogos da franquia em casa. "Isso vai ser uma das coisas mais duras que vou ter de enfrentar", disse ele em entrevista à CNN americana.

"Isso sempre me trouxe muita alegria, poder olhar para o mesmo local e ver ela ali. Saber que ela estava feliz em me ver jogar. Vai ser muito duro entrar em quadra. O basquete era uma terapia para mim e tenho certeza que isso nunca mais vai acontecer. Ao mesmo tempo, isso vai me dar a oportunidade de relembrar boas memórias que tivemos juntos, mas não vai ajudar em nada no meu emocional ou algo do tipo", completou à NBC Sports.

Drama só aumentou e motivou críticas

Como se já não fosse o suficiente, Towns ainda sofreria bastante com a covid-19. Além da mãe, sua principal perda, o pivô teve de enfrentar mais seis mortes na família. Entre elas, a do seu tio, um ente bastante querido e próximo. "Eu tenho visto muitos caixões nos últimos sete meses", relatou o jogador.

O excesso de dor se transformou em inconformidade. Towns fez críticas abertas a membros de sua família e qualquer um que se encaixasse no perfil de pessoas que não estavam levando a pandemia a sério, mesmo com o devastador número de mortes causados pelo vírus.

"Eu conheço um monte de gente - na minha família e na de minha mãe - com covid-19. Eu sou o único que ainda procurou por respostas, tentando descobrir como manter a saúde. É muita responsabilidade sobre mim para manter minha família bem informada e fazer tudo o que é necessário para mantê-los vivos", desabafou.

O jogador tem sido bastante ativo nas suas redes sociais sobre o assunto. Seu objetivo é trazer detalhes dos bastidores da sua vida para criar uma conscientização sobre os problemas da covid-19 e como se prevenir do vírus.

Volta às quadras

Desde que sua mãe passou a ter complicações, Karl-Anthony Towns ficou sem cabeça para jogar basquete. Após a perda, então, sua profissão foi colocada de lado por um certo período. Com o time fora dos playoffs, o pivô ganhou mais tempo para preparar seu retorno com o início da nova temporada - e de uma nova vida.

Isso aconteceu no dia 23 de dezembro, na vitória sobre o Detroit Pistons, em casa, onde sua mãe certamente estaria sentada na primeira fila se estivesse viva e com público liberado. O triunfo ficou em segundo plano com a emocionante entrevista concedida pelo atleta após a estreia.

"Não me reconheço. (Essa vitória) Significou muito para mim. Digo, muito, muito mesmo. Eu olho para trás e não reconheço aquele cara de antes do dia 13 de abril. Vocês podem me ver sorrindo e brincando por aí, mas aquele Karl-Anthony Towns morreu naquela mesma data. Você pode falar comigo, mas só estou aqui fisicamente. Minha alma foi embora junto com ela", disse.

Após disputar dois jogos, Towns deslocou um dedo da mão esquerda na vitória sobre o Utah Jazz, no dia 26 de dezembro, e desde então ainda não entrou em quadra. Ele será reavaliado pela equipe médica ainda nesta semana para ter uma previsão mais exata de quando estará disponível.

Basquete