PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Taxistas rejeitam atleta paralímpico e culpam pelos de cadela-guia

Atleta paralímpico David Casinos em ação nos Jogos do Rio de Janeiro em 2016 - Friedemann Vogel/Getty Images
Atleta paralímpico David Casinos em ação nos Jogos do Rio de Janeiro em 2016 Imagem: Friedemann Vogel/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

27/06/2017 16h37

Considerado o melhor do mundo no arremesso de peso da classe F11, o atleta paralímpico David Casinos, que é cego, passou por situação desconfortável na Espanha, seu país natal. De acordo com reportagem da agência de notícias "EFE", o esportista foi rejeitado em Valência por dois taxistas que alegaram que sua cadela-guia “solta pelos demais”.

O incidente ocorreu nesta terça-feira (27), quando Casinos tentou tomar táxi em ponto de Valência e foi rejeitado por dois motoristas. A solução encontrada pelo atleta foi pedir um carro por telefone, e só então o espanhol teve êxito.

Apesar do incidente, Casinos afirmou que trata-se de um evento isolado e que nunca teve problemas com o serviço na Espanha.

"Tomo geralmente muitos táxis, e a maioria dos motoristas são pessoas maravilhosas, ainda que às vezes você encontre esses bárbaros", declarou.

Dono de Faral, sua cadela-guia, Casinos aproveitou a oportunidade para lembrar que não há legislação que preveja serviço público obrigatório no caso de transporte de cãos-guias. Cerca de um mês antes, o atleta teve problema semelhante em Madri.

Esporte