PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Powell e equipe deixam Itália após caso de doping, mas responderão criminalmente

Do UOL, em São Paulo

16/07/2013 08h28

O velocista Asafa Powell  e outros jamaicanos envolvido em um novo escândalo de doping no atletismo deixaram a Itália nesta terça-feira, segundo a imprensa italiana. Eles estavam no país na preparação para o Campeonato Mundial de Atletismo, em agosto em Moscou, e foi lá que eles foram notificados do positivo em exames antidoping feitos recentemente.

De acordo com a AFP, o ex-recordista mundial dos 100 m rasos Asafa Powell e a vice-campeã olímpica na mesma prova Sherone Simpson, deixaram a cidade de Lignano Sabbiadoro, próxima de Udine, no noroeste da Itália, local da preparação da delegação jamaicana para o Mundial.

O tribunal de Udine anunciou a abertura de uma investigação criminal contra os atletas e técnicos jamaicanos, por “violação da lei sobre doping”, de acordo com a imprensa italiana. Asafa Powell, Sherone Simpson e o canadense Chris Xuereb estão entre quem terá de dar explicações às autoridadades locais.

Informações preliminares deram conta de que os quartos dos atletas e do técnico canadense Christopher Xuereb teriam sido revistados pela polícia. Um assessor de Asafa Powell negou e afirmou que apenas o quarto de Xuereb foi vasculhado pelas autoridades italianas, que recolheram substâncias para investigação.

Tara Playfair-Scott, assessor de Powell, afirmou ao jornal Jamaica Gleaner que a equipe do velocista contribuiu para as investigações. Eles culpam Zuereb por lhes dar o estimulante proibido pelo regulamento da agência mundial antidoping. O técnico deixou a cidade na segunda-feira à noite.

Apesar de culparem o técnico, os atletas respondem por tudo o que consomem, de acordo com o regulamento antidoping.

Esporte