PUBLICIDADE
Topo

Mutirão de limpeza retira mais de 2 toneladas de lixo de praias brasileiras

Mutirão de limpeza retira 2,5 toneladas de lixo de praias brasileiras - Divulgação
Mutirão de limpeza retira 2,5 toneladas de lixo de praias brasileiras Imagem: Divulgação

Lígia Nogueira

Colaboração para Ecoa, em São Paulo

22/09/2021 06h00

Guimbas de cigarro, solas de chinelo e máscaras, muitas máscaras, estão entre as mais de 2,5 toneladas de lixo que foram retiradas de 24 praias na Bahia, em Pernambuco, no Rio de Janeiro e em São Paulo no último fim de semana.

As ações em homenagem ao Dia Mundial da Limpeza de Rios e Mares nos dias 18 e 19 de setembro mobilizaram mais de 500 voluntários coordenados pela Rede Biomar (composta pelos Projetos Albatroz, Baleia Jubarte, Coral Vivo, Golfinho Rotador e Meros do Brasil), por meio do programa Petrobras Socioambiental.

A limpeza ocorreu no Rio de Janeiro (Cabo Frio e Arraial do Cabo), em São Paulo (na região de São Sebastião e Refúgio da Vida Silvestre de Alcatrazes), na Bahia (Santa Cruz Cabrália, Porto Seguro, Prado e Parque Nacional Marinho dos Abrolhos) e em Fernando de Noronha (PE). Em alguns pontos também foi feita a limpeza subaquática com ajuda de mergulhadores.

Das 2,5 toneladas contabilizadas, quase 20% foram retirados somente de Porto Seguro, na Bahia, totalizando 426 kg de lixo, em 9 km de praia. O segundo maior número registrado foi em Arraial d'Ajuda, onde 76 voluntários retiraram 256 kg de lixo em pouco mais de 8 km de areia.

Os mutirões duraram cerca de 2h e contaram com pequenos grupos de pessoas por praia para evitar aglomerações. Cada região contou com a ajuda de parceiros de organizações civis, prefeituras e suas respectivas secretarias de meio ambiente e turismo, ONGs, associações e outros voluntários. Após a coleta, todo o lixo passou por uma triagem para seleção dos resíduos por categorias, contagem e pesagem.

Informações vão gerar relatório

Os dados estão sendo compilados pelo Projeto Coral Vivo para serem inseridos no "Painel Nacional do Ministério do Meio Ambiente". De acordo com a organização, o relatório final servirá de base para subsidiar políticas públicas voltadas ao combate ao lixo no mar e para sensibilizar a sociedade para a geração e destino de resíduos sólidos.

"Com esses dados, o governo pode criar campanhas direcionadas para cada local. Se numa praia, por exemplo, forem encontradas guimbas de cigarro em grande quantidade, pode ser feita uma campanha voltada especificamente para os fumantes", diz Fabio Negrão, coordenador de Sensibilização do Projeto Coral Vivo e coordenador geral em exercício.