PUBLICIDADE
Topo

Debora Garofalo

Como engajar os estudantes do Ensino Médio

Débora Garofalo

Com foco em educação criativa, traz dicas e insights sobre como driblar obstáculos de falta de estrutura, tempo e material para encantar alunos e alunas na sala de aula

05/08/2020 04h00

O ensino médio é o momento de aprofundar aprendizados e decidir caminhos. Os jovens estão no auge da adolescência vivenciando um misto de sentimentos e emoções, por anos lecionei nessa etapa de ensino em que se faz necessário um olhar diferenciado para engajar os estudantes.

É claro que em todas as etapas de ensino existe uma preocupação com o engajamento estudantil, mas pesquisas mostram que o ensino médio merece uma atenção especial por ser uma etapa final da escolarização e a porta de entrada para que muitos jovens concretizem os seus sonhos. Diante deste cenário, como mantê-los com foco no estudo?

Novo Ensino Médio

Estamos avançando na reformulação de um currículo que faça sentido mais sentido aos estudantes. São Paulo foi o primeiro Estado a aprovar as novas mudanças. Sem dúvida, uma vitória. O novo currículo possibilita a vivência e aprendizado sobre diversos temas.

Para Gustavo Blanco Mendonça, coordenador de Ensino Médio da Secretaria Estadual de Educação do Estado de São Paulo e mestrando em gestão e políticas públicas, o currículo do ensino médio homologado pelo secretário Rossieli Soares traz novas possibilidades de trajetórias mais conectadas com as realidades e demandas dos estudantes. Além disso, tem integração com as necessidades do mercado de trabalho, refletida em especial no itinerário da formação técnica e profissional. Em um contexto pós-pandemia, isso será fundamental para conectar e atrair o jovem à escola, uma vez que alguns estudos já indicam que a evasão e o abandono escolar devem aumentar.

Gustavo explica que o currículo irá permitir que o estudante escolha sua trilha de acordo com os itinerários formativos ofertados pela escola e que sejam mais conectados com seu projeto de vida. Isso será possível uma vez que cada escola da rede estadual deverá ofertar, no mínimo, dois itinerários formativos em diferentes áreas do conhecimento.

Olhar atento à pandemia

É importante ter um olhar atento para o agora e acolher jovens que estão sofrendo com a pandemia, receosos, e desestimulados em prosseguir com os estudos.

Neste sentido, é importante criar ações para recuperar o tempo perdido e mostrar que é possível superar desafios. Professores devem criar espaços em suas aulas para uma escuta ativa, intensificar uma rotina de estudos que essa seja contextualizada e significativa para todos.

Promover debates e palestras com profissionais de diversas áreas para que os alunos possam interesse em dar continuidade aos estudos e futuramente orientar sobre o ingresso às universidades. Esse é um momento de persistir e de manter um contato com estudantes e familiares para que se evite ao máximo a evasão escolar.

Um abraço e até a próxima semana.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.

Debora Garofalo