PUBLICIDADE
Topo

Lata Velha: moto reformada só funcionou por 15 dias e depende de vaquinha

A Kasinski Mirage 250 foi transformada durante a participação de Reginaldo Gonçalves no Lata Velha - Arquivo Pessoal
A Kasinski Mirage 250 foi transformada durante a participação de Reginaldo Gonçalves no Lata Velha Imagem: Arquivo Pessoal

Paula Gama

Colaboração para o UOL

06/12/2021 04h00

A história de amor entre Reginaldo Gonçalves e a sua moto Kasinski Mirage 250 foi uma das mais bonitas contadas pelo quadro Lata Velha, do antigo Caldeirão do Huck. Ex-morador de rua, o atual chefe de cozinha tinha como sonho ter uma moto no "estilo" Harley-Davidson - e chegou a vê-lo realizado, quando o programa selecionou sua carta.

Mas durou pouco: segundo o ex-participante, apenas 15 dias após receber o veículo, o motor fundiu e a carenagem rachou. Hoje, ele conta com a doação de amigos para reconstruir sua moto.

  • O UOL Carros agora está no TikTok! Acompanhe vídeos divertidos, lançamentos e curiosidades sobre o universo automotivo.

Reginaldo participou do programa em 2015, quando a oficina Tarso Marques Concept era responsável pelas transformações dos veículos do quadro. Na época, a produção se interessou por sua história porque a Kasinski Mirage 250 havia sido a primeira conquista do participante depois que deixou as ruas.

"Antes da transformação a moto tinha um motor ruim, mas funcionava. E o meu pedido era justamente que substituísse esse equipamento. Fiquei muito animado porque eu era muito fã do Tarso, mas percebi que havia algo errado ainda durante as gravações do programa", diz.

Segundo o chefe de cozinha, quando foi gravar cenas externas com a moto, nos arredores do Projac, no Rio de Janeiro, ele percebeu um barulho estranho no motor e avisou à oficina.

"Na hora me disseram para ficar tranquilo, que o problema seria resolvido. Terminei a gravação, fui para casa e fiquei aguardando a moto, conforme o combinado. Mas a coisa começou a ficar estranha logo, a equipe de entrega disse que havia esquecido a chave, então não tinha como testar na frente deles", alega Reginaldo.

O ex-participante do quadro alega que a chave não foi entregue pelo programa. Em vez disso, ele pagou a um chaveiro para conseguir ligar a moto preparada.

"Quando liguei, percebi o mesmo barulho de antes. Usei a moto durante 15 dias, até que fui andar em uma estrada de pedra aqui em Búzios, minha cidade, e a carenagem começou a rachar. Logo depois, o motor parou de funcionar", afirma.

Sem resposta

Segundo Reginaldo, em um primeiro momento a produção do programa Caldeirão do Huck, quando questionada, disse que resolveria o problema. Mas, logo em seguida, ele não o ex-participante não conseguiu mais contato.

"Esperei três anos para mexer na moto. Na época do programa ganhei R$ 10 mil, mas usei o dinheiro no tratamento de câncer da minha cunhada. Atualmente, já consegui ajustar o motor e a carenagem por minha conta, com ajuda de vaquinha dos amigos, mas ainda faltam algumas coisas", diz Reginaldo.

O ex-participante diz que recebeu apoio de pessoas interessadas através do Facebook e de canal de um influenciador no Youtube, mas afirma que o trabalho foi atrasado por questões de saúde.

"Tive muitos problemas devido a essa história. Fiquei muito triste, o Luciano Huck usou a minha história e não me entregou o que prometeu. Cheguei a desenvolver um problema cardíaco por causa disso. Mas tenho fé de que conseguirei restaurar a minha moto e, no futuro, doá-la para a Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais)", finaliza

Procurados, a assessoria da Rede Globo e a oficina Tarso Marques Concept não retornaram o contato até o fechamento desta reportagem.

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de UOL Carros.