PUBLICIDADE
Topo

Toyota Supra cultuado em 'Velozes e Furiosos' já vale mais que Ferrari

Toyota Supra 1994 manual, original e pouco rodado foi leiloado pelo preço recorde de R$ 933 mil em março de 2019 - Divulgação
Toyota Supra 1994 manual, original e pouco rodado foi leiloado pelo preço recorde de R$ 933 mil em março de 2019 Imagem: Divulgação

Alessandro Reis

Do UOL, em São Paulo (SP)

15/02/2021 04h00

Há 20 anos, quando o primeiro filme da série "Velozes e Furiosos" foi lançado, o Toyota Supra custava menos da metade do preço cobrado pela Ferrari F355.

Devido à fama alcançada com a aparição de destaque na franquia, o esportivo japonês disparou de preço e hoje um exemplar original da década de 90 já pode valer mais do que o modelo italiano.

Em março de 2019, um Supra Twin Turbo Targa 1994 manual sem modificações e com apenas 18 mil km rodados foi leiloado nos Estados Unidos por US$ 173,6 mil (R$ 933 mil), tornando-se o mais caro da história.

A título de comparação, o maior preço alcançado pela F355 no site de carros clássicos Bring A Trailer é US$ 161 mil (R$ 865 mil), referente a um exemplar 1998 manual vendido em 2020 com 37 mil km no hodômetro.

Toyota Supra 1994 RM Stothebys - Divulgação - Divulgação
Toyota Supra mais caro do mundo vale mais que Ferrari F355 manual em excelente estado
Imagem: Divulgação

Dono de uma Ferrari F355 Spider 1998 adquirida recentemente nos EUA para projeto de restauração e customização, o empresário brasileiro Anderson Dick atesta a alta valorização do cupê da Toyota.

"Paguei cerca de US$ 30 mil na minha Ferrari, que tem registro de sinistro e necessitava de reparos. Em bom estado, a F355 custa aproximadamente US$ 70 mil, enquanto o Supra em condição idêntica vale mais", destaca Dick, morador de Atlanta, na Geórgia.

Como brasileiro dobrou em 4 dias preço de Ferrari abandonada por 10 anos  - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Brasileiro Anderson Dick comprou F355 e constatou que Supra em mesmo estado é mais caro
Imagem: Arquivo pessoal

Quem assistiu ao primeiro "Velozes e Furiosos" deve se lembrar que o longa-metragem, inclusive, compara os dois carros.

Em uma cena famosa, os personagens Brian O'Conner (Paul Walker) e Dominic Toretto (Vin Diesel) param seu Supra ao lado de uma F355 no semáforo.

Ao volante do Toyota, O'Conner pergunta ao motorista da Ferrari quando o modelo custa e ouve "Mais do que você pode pagar" como resposta.

Começa, então, um racha nas ruas de Los Angeles. No início, a F355 consegue acompanhar o ritmo do Supra, mas logo fica para trás.

Toyota Supra Ferrari 355 Spider Velozes e Furiosos 1 - Reprodução - Reprodução
Supra preparado (à dir.) desafia F355 Spider em cena famosa de 'Velozes e Furiosos 1'
Imagem: Reprodução

Donos de Supra e especialistas do mercado de carros colecionáveis apontam os filmes "Velozes e Furiosos" como os grandes responsáveis por tornar o Supra um esportivo tão cultuado - a ponto de custar mais do que sua rival italiana lançada na mesma época.

Fontes ouvidas também concordam que o mercado de preparação e customização do Toyota, que já era forte, cresceu ainda mais por conta da série - embora unidades "mexidas" não alcancem preços tão elevados.

'Tribo JDM'

Toyota Supra 1993 Bring a Trailer 10 mil milhas abril de 2019 - Divulgação - Divulgação
Outro Supra foi vendido em abril de 2019 no site Bring A Trailer por US$ 128 mil (R$ 688 mil)
Imagem: Divulgação

Por contar com pouquíssimos exemplares no Brasil, o Supra costuma alcançar valores expressivos no País, ainda que não chegue a superar a Ferrari aqui em termo de preço.

"O Supra é um carro de nicho. Quem se interessa por superesportivos, geralmente, não dá muita bola para ele. Por outro lado, é objeto de desejo da 'tribo JDM', apaixonada por carros japoneses", analisa o leiloeiro Joel Picelli, da Picelli Leilões.

"Há alguns anos, esse modelo não chegava a R$ 100 mil, porém os preços viraram uma loucura. Já vi recentemente Supra anunciado por mais de R$ 300 mil, mas poucos estão dispostos a pagar esse valor", complementa Picelli.

A sigla JDM significa "Japan Domestic Market", que designa veículos projetados originalmente para venda exclusiva no mercado doméstico japonês, a exemplo do Supra dos anos 1990, que geralmente recebem pesada personalização de parte dos respectivos donos.

Supra 'mexido' de 1.095 cv

Toyota Supra 1994 Renne Gonçalves - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Comerciante paulista Renne Gonçalves tem Supra 1994 preparado com mais de 1.000 cv
Imagem: Arquivo pessoal

Um dos integrantes da "Tribo JDM" é o comerciante paulista Renne Arantes Gonçalves, de 34 anos.

Ele é dono de um Supra Turbo RZ Targa manual 1994, adquirido em 2006 por R$ 130 mil.

Ele não tem ideia de quanto seu carro vale hoje, enquanto destaca já ter investido bastante dinheiro para modificá-lo.

Gonçalves destaca que a mecânica do seu Supra, de original, tem só o bloco e o virabrequim do motor, além do câmbio manual e do diferencial. A potência informada é de 1.095 cv no motor.

Toyota Supra 1994 Renne Gonçalves - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Motor do Toyota é todo mexido; proprietário diz que não se arrepende de ter tirado originalidade
Imagem: Arquivo pessoal

"Dentre outras coisas, bielas e pistões são forjados, o cabeçote é preparado e rodas, freios e suspensões são especiais. O capô é de fibra de carbono e o interior traz bancos e cintos de competição mais santantônio de inox".

Ele, que tem outros oito esportivos japoneses, dirige o Supra somente em "passeios nos finais de semana" por conta das suspensões baixas e rígidas.

"O meu veio zero-quilômetro para o Brasil em 1994 e conheci o modelo por causa do filme. Em todo o mundo o valor disparou. Já vi diversos anúncios nos quais, dependendo do estado do carro, seu valor é superior ao de esportivos europeus", analisa o empresário.

Toyota Supra 1994 Renne Gonçalves - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Supra de Gonçalves chegou importado ao Brasil em 1994 e desde 2006 está com o dono atual
Imagem: Arquivo pessoal

O último Toyota Supra que Renne lembra de ter sido vendido em território brasileiro custou R$ 435 mil há cerca de dois anos e era todo original, afirma.

Gonçalves diz que não se arrepende de ter alterado a originalidade.

"O que mais vale para mim, e essa é minha opinião pessoal, é o feeling que o carro proporciona. Com preparação, esses modelos são adrenalina pura. Creio que as pessoas que possuem esportivos tenham percebido que os JDM da década de 90 têm um nível incrível de qualidade, podendo até superar os europeus".