PUBLICIDADE
Topo

Sindicalistas fazem passeata no ABC e acertam reunião com Ford nos EUA

Passeata de operários Ford no ABC  - Miguel Schincariol/AFP
Passeata de operários Ford no ABC
Imagem: Miguel Schincariol/AFP

Do UOL

Em São Paulo*

26/02/2019 12h37

Resumo da notícia

  • Encontro dos sindicalistas com direção global da marca será em 7 de março
  • Funcionários decidiram hoje (26) manter a greve iniciada há uma semana
  • Sindicato diz que apresentará propostas para viabilidade da fábrica do ABC paulista
  • Governo de SP anunciou que tentará buscar comprador para a linha de montagem

O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC e a Ford acertaram a data da reunião para discutir o fechamento da fábrica em São Bernardo do Campo, em São Paulo, anunciado na terça passada (19) pela montadora americana. Os sindicalistas vão se reunir no dia 7 de março com os executivos da Ford na matriz da montadora, em Dearborn, Michigan, nos Estados Unidos, na tentativa de reverter a decisão. A data da reunião foi confirmada pela própria companhia.

Hoje (26), os trabalhadores realizaram assembleia pela manhã em frente à fábrica e decidiram manter a greve, iniciada há exatamente uma semana, logo após a Ford anunciar que irá fechar a linha de produção no ABC. Após a votação, eles fizeram passeata pelas ruas de São Bernardo em direção à Prefeitura da cidade. "Nosso objetivo é apresentar propostas mostrando que essa fábrica é viável e reverter a decisão de fechamento", disse Wagner Santana, o Wagnão, presidente do sindicato. 

Ainda de acordo com a entidade sindical, amanhã (27) Wagnão e outros dirigentes se reúnem com Orlando Morando (PSDB), o prefeito de São Bernardo.

A Ford decidiu que encerrará até o fim do ano a operação da fábrica em São Bernardo. A montadora fabricava no local a linha de caminhões Cargo e o compacto Fiesta, mas optou por deixar de produzir esses veículos até o fim de 2019 -- sua fabricação não será transferida para outra fábrica.

A montadora seguirá no Brasil com as fábricas de Camaçari (BA) e Taubaté (SP).

Na quinta-feira passada (21), João Doria (PSDB), o governador de São Paulo, anunciou que vai ajudar a buscar até o fim do ano um comprador para a linha de montagem paulista, na tentativa de preservar os mais de 3.000 empregos da unidade.

*Com informações da Agência Estado