PUBLICIDADE
Topo

General Motors anuncia novo recall, agora de 3 milhões de carros

Do UOL, em São Paulo (SP)

15/05/2014 15h14

A General Motors dos Estados Unidos anunciou nesta quinta-feira (15) mais um mega-recall. Somente naquele país são 2,7 milhões de carros, picapes e SUVs, de diversos anos-modelo e marcas como Chevrolet, Pontiac e Saturn (ambas extintas), GMC e Cadillac. Incluindo unidades vendidas no Canadá, no México e no resto do mundo, a conta chega a 3 milhões de carros. A GM do Brasil ainda não se pronunciou.

Chevrolet Malibu 2014 - Divulgação - Divulgação
Chevrolet Malibu 2014: mal foram lançadas, 140 mil unidades voltam às oficinas
Imagem: Divulgação
Os problemas que motivaram o recall desta quinta incluem possíveis defeitos nos freios, nas luzes de freio e nos limpadores de parabrisa. Desde janeiro, a GM já teve de fazer 24 recalls, num total de 11,2 milhões de carros, afirma o jornal Automotive News. No caso deste, apesar dos relatos de alguns acidentes que podem ter sido causados pelos defeitos citados, não há registro de mortes.

A GM espera gastar cerca de US$ 200 milhões com este novo recall.

A maior parte dos veículos envolvidos -- cerca de 2,4 milhões de unidades -- podem apresentar problemas nas luzes de freio. Foram fabricados entre 2004 e 2012, e incluem o Chevrolet Malibu (que chegou a ser importado ao Brasil), o Saturn Aura e o Pontiac G6. O possível problema está na fiação que comanda as luzes de frenagem, que podem não funcionar quando necessário, ou então acender sem que haja acionamento dos freios.

Segundo o Automotive News, a GM recebeu centenas de reclamações sobre luzes de freio destes modelos, incluindo o relato de 13 acidentes (sem vítimas fatais). Um recall bem mais limitado foi feito em 2008.

Mary Barra, presidente da GM, faz juramento antes de CPI no Congresso americano sobre recall das ignições - Jonathan Ernst/Reuters - Jonathan Ernst/Reuters
Mary Barra, presidente da GM: cargo é só dor de cabeça
Imagem: Jonathan Ernst/Reuters
O Malibu 2014 (que não chegou a ser lançado no Brasil) também foi chamado nesta quinta; cerca de 140 mil carros podem apresentar problemas num módulo eletrônico da frenagem; pelo menos quatro acidentes podem ter sido causados por essa falha. O equipamento será reprogramado.

Os esportivos Corvette fabricados entre 2005 e 2007 tiveram quase 112 mil unidades chamadas para verificação do farol baixo; a GM admite centenas de reclamações a respeito do problema, mas diz que não há registro de acidentes.

A Cadillac, marca de luxo da GM, entra com pouco mais de 19 mil unidades do CTS (2013-14), cujos limpadores de parabrisa podem não funcionar caso o veículo seja religado com o equipamento em funcionamento. Por fim, cerca de 480 picapes Chevrolet Silverado e GMC Sierra, e do SUV grande Chevrolet Tahoe, podem apresentar problemas na caixa de direção.

VIGILÂNCIA
A desconfiança em relação à General Motors aumenta à medida que os recalls envolvem tanto carros fabricados muito antes da crise de 2008 e da concordata de 2009, quanto outros que mal saíram das fábricas, supostamente já representantes de uma "nova GM", pós-concordata e pós-ajuda estatal, concedida durante o primeiro mandato do presidente Barack Obama (e já ressarcida).

De acordo com Jeff Boyer, que em março assumiu o inédito cargo de chefe de segurança automotiva da GM, os recalls em série visam a resolver problemas antigos e/ou persistentes nos modelos do grupo. Também segundo ele, o controle de qualidade para carros novos aumentou. A GM mais que dobrou sua equipe de especialistas em segurança, de 20 funcionários para 55.

A nova função assumida por Boyer e o reforço no time são ações da nova CEO da GM, Mary Barra, que assumiu o cargo em janeiro. A companhia atualmente é alvo de pelo menos quatro investigações por parte do governo dos EUA.

Com Agências