Topo

Na Garagem


Centodieci e mais quatro: veja 5 séries exclusivas feitas pela Bugatti

Bugatti Centodieci terá apenas 10 unidades fabricadas - Divulgação
Bugatti Centodieci terá apenas 10 unidades fabricadas
Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo (SP)

17/08/2019 18h14

O Centodieci é apenas mais um dos hiperesportivos ultraexclusivos feitos pela Bugatti. Conhecido também pelo nome EB 110 Super Sport Hommage, ele será mostrado pela primeira vez neste final de semana no festival de carros de Pebble Beach.

Este, porém, não será o primeiro carrão especial feito pela marca - e tampouco o último. Listamos abaixo algumas das jóias modernas que homenagearam o passado da Bugatti na forma de séries especiais.

  • Divulgação

    Centodieci

    A obra prima mais recente da Bugatti atende pelo nome de Centodieci, ou Cento e Dez, em português. O nome, não por acaso, faz referência ao clássico EB 110, que teve originalmente apenas 139 unidades construídas entre 1991 e 1995. Todas as unidades tinham câmbio manual de seis marchas e motor 3.5 V12 de 612 cv. No caso do Centodieci, serão construídas apenas 10 unidades do modelo, que terá motor W16 com quatro turbocompressores e nada menos que 1.500 cv à disposição. Leia mais

  • Newspress

    La Voiture Noire

    O carro mais caro do mundo. Assim foi revelado o La Voiture Noire (ou "O Carro Negro", em francês) durante o Salão de Genebra. Avaliado em 11 milhões de euros (R$ 47 milhões na cotação atual, sem contar os impostos), o hiperesportivo tem o mesmo motor 8.0 W16 do Chiron, entregando 1.500 cv. A imprensa esportiva especulou que Cristiano Ronaldo seria o feliz proprietário da jóia. Porém, fontes ligadas ao Grupo Volkswagen, ouvidas por UOL Carros, afirmam que o dono do modelo seria ninguém menos que Ferdinand Piëch, ex-CEO, ex-chefe do conselho do Grupo Volkswagen e neto do fundador da marca Ferdinand Porsche. Leia mais

  • Benoit Tessier/Reuters

    Divo

    Produzido sob a base do Chiron, o Divo estreou no Festival de Pebble Beach de 2018. O nome escolhido é uma homenagem ao piloto francês Albert Divo, bicampeão da clássica prova Targa Florio na década de 1920. Do motor 8.0 W16 (que é o mesmo do Chiron) sobrealimentado com quatro turbocompressores são extraídos 1.520 cv e um torque de incríveis 163,1 kgfm. A maior pressão aerodinâmica fez a velocidade máxima cair de 420 km/h no Chiron para "apenas" 380 km/h. As 40 unidades produzidas foram vendidas antes mesmo do lançamento ao valor unitário de 5 milhões de euros, pouco mais de R$ 24 milhões. Leia mais

  • Divulgação

    Chiron Sport 110 Ans

    A Bugatti fez uma série especial do Chiron para celebrar seus 110 anos. A pintura azul fosca combinava com os detalhes em branco, vermelho e azul nos espelhos laterais, mesma combinação tricolor presente no enorme aerofólio móvel na traseira — uma clara referência à bandeira da França, país de origem da Bugatti. Diversas partes da carroceria são feitas de fibra de carbono, e as belas rodas de liga leve têm acabamento preto fosco com pinças dos freios na cor azul. O motor é o mesmo 8.0 W16 quadriturbo de 1.500 cv.

  • Divulgação

    Veyron Bleu Centenaire

    O Veyron ganhou uma edição especial (e ainda mais potente) para celebrar os 100 anos da Bugatti. O Bleu Centenaire (ou "Azul Centenário") tinha o tradicional motor W16, mas com 1.400 cv - o original saía de fábrica com "apenas" 1.001 cv. O uso intenso de peças de fibra de carbono reduziu o peso total em aproximadamente 100kg; a velocidade máxima era de 439 km/h.