PUBLICIDADE
Topo

Motoesporte

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

França pode ter seu primeiro campeão na MotoGP

Divulgação
Imagem: Divulgação
Roberto Agresti

Sobre o Autor - Roberto Agresti dirigiu durante mais de 30 anos revistas especializadas em motocicletas. Cobriu corridas da MotoGP, do Mundial de Motocross, de Enduro e um inesquecível Paris-Dakar na África. É comentarista da rádio CBN, onde desde 2014 tem o CBN Moto, onde fala sobre motociclismo em rede nacional.

Colunista do UOL

06/10/2021 12h22

Fabio Quartararo não é um nome conhecido como o de Valentino Rossi ou Marc Márquez, mas pelo jeito, logo logo, irá se juntar a estes dois monstros do guidão, e entrar no estrito clube dos campeões mundiais da principal categoria do motociclismo, a MotoGP.

Faltam apenas três corridas para o final da temporada 2021 e a matemática diz que o italiano Francesco Bagnaia, da Ducati, ainda pode atrapalhar a vida de Quartararo. Porém, a diferença na pontuação em favor do francês indica que isso será bem improvável.

Quartararo será um belo campeão, pelo mérito e pela fachada: aos 22 anos de idade, o sorridente piloto da Yamaha não só está fazendo uma temporada excelente como tem aquela cara que qualquer marca gostaria de associar a seu produto.

Fabio Quartararo, piloto da MotoGP - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Feliz a Yamaha, felizes os fãs de um cara do bem, simpático e talentoso, com tudo para continuar no topo da categoria por muitos anos. Felizes também os organizadores da MotoGP, a Fórmula 1 das duas rodas, que com a aposentadoria de Valentino Rossi perderão aquele que foi o maior "garoto-propaganda" da categoria. Rei morto, rei posto...

A França, país com grande tradição no motociclismo, nunca teve um campeão na categoria principal. Com Fabio Quartararo coroado nº 1 do mundo, será interrompida a sequência ibérica de campeões da MotoGP que dura desde 2012 (!!!), quando Jorge Lorenzo sucedeu o australiano Casey Stoner como campeão.

No ano seguinte apareceu Marc Márquez, que venceu o campeonato em sua temporada de estreia, e que engatou um período de dominação extenso, só perdendo o título em 2015 (para Lorenzo) e em 2020 (para Joan Mir). Por qual razão os espanhóis dominam a MotoGP? Pelo forte investimento feito desde os anos 1980 nas categorias de base. Aliás, Fabio Quartararo, apesar do passaporte francês, antes mesmo de completar dez anos de idade já vencia campeonatos de minimotos na Espanha. Ou seja, é cria do viveiro espanhol.

Falando em "cria", o rival de Quartararo pelo título de 2021, Francesco Bagnaia, também pode exibir um atestado de bons antecedentes. Em vez de pistas na Espanha, Bagnaia se formou em sua Itália natal, como pupilo de Valentino Rossi, criador de uma forte estrutura para treinamento de novos pilotos literalmente no quintal de sua casa, do qual o jovem Francesco (24 anos) é um dos mais bem sucedidos produtos, mas não o único.

O primeiro 'match point' de Quartararo será dia 24 de outubro próximo, na pista de Misano, na Itália, quando poderá fechar a fatura da temporada com duas corridas de antecedência e alcançar o topo do esporte da moto. O primeiro não espanhol em uma década. Como se diria na França, allez les bleus...

Se tudo der errado para Quartararo Bagnaia também será um belo campeão. Heróis de uma nova era que um certo Marc Márquez, vencedor domingo passado, fará de tudo para adiar.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL