Jorge Moraes

Jorge Moraes

Siga nas redes
Só para assinantesAssine UOL
ReportagemCarros

Chery amplia 'invasão chinesa' e terá fábrica com novas marcas no Brasil

A investida chinesa no mercado automotivo nacional ganhará novos participantes a partir de janeiro. Após a chegada de BYD e GWM, agora é a vez de Omoda e Jaecoo, submarcas da gigante Chery, anunciarem no início do próximo ano o investimento em uma nova fábrica no Brasil.

O local ainda não está definido, mas não faltam possibilidades. Os incentivos fiscais no Nordeste e Centro-Oeste podem levar a gigante chinesa para lá, onde a Chery já produz veículos em Anápolis (GO) em parceria com a Caoa. Outra possibilidade na região seria a fábrica da Troller, pertencente à Ford, no Ceará - a montadora norte-americana não comenta o assunto.

A primeira opção, porém, seria a fábrica de Jacareí (SP), onde eram produzidos veículos da Caoa Chery. O local teve sua produção suspensa em 2022, com a promessa de que seria modernizada para a fabricação de veículos elétricos.

Outra opção seria produzir veículos em São Bernardo do Campo (SP). Vale lembrar que a marca chinesa assinou recentemente um protocolo de intenções com o sindicato dos metalúrgicos local para a implementação de uma fábrica por lá.

Independentemente do local, a meta é iniciar a produção dos veículos de Omoda e Jaecoo no Brasil em 2025. O anúncio oficial do investimento será feito em janeiro por Shawn XU, CEO da empresa e vice-presidente da Chery global.

Ele também explicará sobre a estratégia de antecipação da montadora diante da decisão do governo federal de impor a nova carga tributária para os importados eletrificados. O tributo de 35% será escalonado e os primeiros 10% para os carros BEV (elétricos) e 12% para os híbridos começa a valer a partir de janeiro.

Omoda e Jaecoo estão finalizando a escolha dos principais players (representantes, lojistas). O escritório da montadora no Brasil fará o comunicado dos novos concessionários pelos próximos dias de dezembro, e logo depois revelará os primeiros dois veículos da relação de produtos para o biênio 2024 e 2025.

Atualmente são cerca de 200 empresas candidatas, das quais sairão 38 pontos iniciais concentrados em grupos - Omoda e Jaecoo já confirmaram que comercializarão seus carros em rede independente da Caoa Chery. Até o fim de 2026, o planejamento será oferecer 158 locais de vendas e assistência.

A ideia é que, a princípio, os veículos sejam vendidos por aqui já no ano que vem via importação, antes do início da produção local. Serão quatro modelos, com algumas versões. Já no próximo mês de dezembro, o Brasil conhecerá os primeiros automóveis.

Continua após a publicidade

Da linha de produtos, todos serão SUV - três deles híbridos leves e um elétrico, que pode chegar no começo de 2025. . Cerca de 38 pontos de vendas serão apresentados nas capitais brasileiras e depois nas filiais do interior de cada estado.

Omoda e Jaecoo

A Omoda é uma marca de espírito jovem que está comprometida em entregar carros modernos, com design avançado e tecnologia do futuro.

Descobri que o nome surgiu da palavra inglesa "modern" (moderno) e representa o compromisso da empresa na construção sustentável da marca. A meta é entregar uma experiência de condução confortável para motoristas e passageiros com seus recursos de tecnologia, segurança, entretenimento e a assistência ao condutor (ADAs) como item de série.

Já a Jaecoo vai explorar a tendência da liberdade e do off-road, com tração nas quatro rodas. A bordo, boa dose de requinte como apresentação da cabine.

O grupo informa que os desenhos dos veículos foram projetados em parceria com designers do Reino Unido e Alemanha e o resultado concebeu um novo padrão para SUVs do tipo todo terreno. O design Jaecoo é uma mistura de características dos off-roads clássicos com elementos de luxo.

Reportagem

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes