PUBLICIDADE
Topo

Tracker 1.0: vale comprar SUV com motor de Onix por R$ 500 a menos?

Vitor Matsubara

Do UOL, em São Paulo (SP)

07/07/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Versão LT oferece bom nível de equipamentos e design elegante
  • Por R$ 97.490, SUV custa apenas R$ 500 a menos do que versão básica 1.2
  • Tracker LT tem bom desempenho e é opção interessante para quem quer SUV

Lançar um SUV com motor 1.0 era improvável até 2019, Até então, apenas a Ford havia apostado nesta fórmula com o EcoSport Supercharger, que até entregava bons 95 cv, mas se aproximava muito do modelo 1.6 em preço e desempenho.

Desde o ano passado o cenário mudou: primeiro foi a Volkswagen que trouxe o bom motor turbinado de 1-litro ao T-Cross. Neste ano, foi a vez da Chevrolet apostar na receita com as versões mais baratas do Tracker.

Aplicado com sucesso nos novos Onix e Onix Plus, o motor de três cilindros é aplicado nas configurações de entrada (que se chama simplesmente 1.0 turbo) e LT do Tracker. No caso da segunda configuração, porém, a diferença para o degrau de cima (leia-se motor 1.2) é de meros R$ 500. Ai a dúvida é inevitável: vale a pena economizar (pouco) para levar o Tracker LT para casa?

Reprodução

Chevrolet Tracker LT 1.0 turbo

Preço

R$ 97.490 R$ 90.623,00 (Fipe) Ver histórico
Carros
4,3 /5
USUÁRIOS
3,9 /5
ENTENDA AS NOTAS DA REDAÇÃO

Médias aferidas pelo Inmetro indicam que Tracker não é beberrão, mas poderia ser mais econômico - sobretudo com etanol

O motor 1.0 turbo de 116 cv dá conta do recado com sobras e é uma boa pedida no SUV

Estilo elegante e moderno ainda chama atenção nas ruas, mesmo depois de quatro meses

Mesmo sendo uma versão intermediária, o Tracker LT possui uma generosa lista de equipamentos

Quatro adultos viajam sem aperto dentro do SUV, que tem um bom porta-malas de 393 litros

Custos de manutenção estão entre os mais baixos da categoria - o que é sempre bom

6 airbags e controles de estabilidade e de tração são oferecidos de fábrica em todas as versões

Pontos Positivos

  • Design e itens de série

Pontos Negativos

  • Preço

Veredito

Assim como as demais versões, o Tracker LT combina um pacote generoso de equipamentos com design atraente e um bom desempenho. Seu principal (e talvez até único) defeito está justamente no preço: além de custar apenas R$ 500 a menos do que a versão básica com motor 1.2, ele é caro demais. Caso esteja em dúvida, vale a pena olhar com carinho para o VW Nivus, que pode até ser menor, mas é mais estiloso, tem um porta-malas maior e é (bem) mais equipado. Agora, se você já se decidiu pelo Tracker, é tudo uma questão de escolher entre o SUV menos potente e mais equipado ou mais forte e com menos itens. Seja qual for sua decisão, você estará muito bem servido.

Tracker LT 1 - Murilo Góes/UOL - Murilo Góes/UOL
Estilo elegante ainda chama atenção nas ruas
Imagem: Murilo Góes/UOL

Alguns meses depois de sua chegada, o Tracker ainda chama atenção nas ruas. Embora não seja figura tão difícil de ver no trânsito, o SUV ainda desperta curiosidade em quem não está tão familiarizado com as novidades da indústria.

Faz sentido: o SUV tem linhas muito bonitas e equilibradas, que, se não apostam na ousadia de um VW Nivus, também não são conservadoras como no Hyundai Creta. Mesmo nas versões mais baratas o Tracker parece um carro mais caro, resultado do design elegante.

O modelo não precisa apelar para muitos vincos ou adereços para transmitir a sensação de robustez tão cobiçada por quem gosta dos SUVs. Na versão LT, o Tracker possui maçanetas e capas dos espelhos retrovisores pintadas na cor da carroceria, além dos apliques em preto nas colunas. Esses detalhes são os primeiros (e mais nítidos) diferenciais frente à versão de entrada com motor 1.2.

Por dentro, o SUV traz o mesmo painel do Onix, o que pode decepcionar quem procura mais exclusividade. Dele também vieram os plásticos de boa qualidade, que parecem um pouco "apagados" por conta do estilo mais sóbrio da cabine.

A posição de dirigir é boa e o volante de menor diâmetro tem boa empunhadura. Já o banco inteiriço é bastante confortável e anatômico, algo que já havíamos notado no Onix. Atrás o espaço para joelhos e cabeça dos passageiros é bom, embora não seja grande o suficiente para que três adultos viajem com folga. O porta-malas tem bons 393 litros.

Tracker LT 5 - Murilo Góes/UOL - Murilo Góes/UOL
Motor 1.0 turbo de três cilindros é o mesmo de Onix e Onix Plus
Imagem: Murilo Góes/UOL

Se você já dirigiu o Tracker 1.2 (como nós) vai notar uma diferença quando assumir o volante do 1.0. Entretanto, ela não é tão gritante assim. O conjunto que entrega até 116 cv e 16,8 kgfm não dá sinais de falta de fôlego, mesmo com lotação máxima.

O motorista perceberá um comportamento ligeiramente mais pacato nas acelerações e retomadas, situações nas quais o Tracker 1.0 demora um pouco para arrancar. Pode botar a "culpa" na conta do câmbio de seis marchas, que, apesar de trabalhar de forma adequada na maior parte do tempo, padece de suavidade e agilidade nas reduções.

Leve nas manobras, a direção não transmite a sensação de segurança que poderia ao condutor, sobretudo em velocidade altas. Isso, porém, não é exclusividade das versões com motor 1.0, já que todo Tracker parece se comportar assim.

Não dá para chamar o SUV de econômico, mas ele também não decepciona - pelo menos não diante de outros modelos turbinados. Dados do Inmetro indicam 8,2 km/l na cidade e 9,5 km/l na estrada com etanol, números que sobem para 11,9 km/l no ciclo urbano e 13,7 km/l no rodoviário se a escolha for pela gasolina.

Tracker LT 3 - Murilo Góes/UOL - Murilo Góes/UOL
Interior tem acabamento sóbrio e de boa qualidade
Imagem: Murilo Góes/UOL

É verdade que a diferença de R$ 500 é irrisória para quem gosta de desempenho. Só que a versão LT (que custa R$ 97.490) entrega mais conteúdo do que a básica com o motor maior.

Comparando as duas versões, o Tracker LT oferece a mais itens como destravamento das portas sem chave, partida do motor por botão, câmera de ré, rack de teto na cor prata, maçanetas na cor da carroceria, adesivos na cor preta nas colunas do carro, luzes de leitura individuais para motorista e passageiro e capas dos espelhos retrovisores na cor do veículo.

Frente às configurações mais caras, o SUV fica devendo acendimento automático dos faróis, bancos revestidos em couro e ar-condicionado digital, entre outros equipamentos.

Mesmo assim, a versão LT traz boas surpresas, como a boa central multimídia MyLink 3 com suporte a Android Auto e Apple CarPlay e internet 4G com Wi-Fi.

tracker LT 2 - Murilo Góes/UOL - Murilo Góes/UOL
Motor 1.0 turbo é esperto, embora câmbio atrapalhe um pouco nas retomadas
Imagem: Murilo Góes/UOL

Assim como nas linhas Onix e Onix Plus, o Tracker marca um gol de placa ao trazer seis airbags, controles de estabilidade e de tração e assistente de partida em rampas como itens de série em todas as versões.

Estabilidade também é um ponto forte do Tracker, que traz uma dirigibilidade muito mais próxima a de um automóvel convencional do que um utilitário esportivo, cujo centro de gravidade costuma ser naturalmente mais alto. A carroceria pouco inclina nas curvas.

Outro ponto importante é que os valores sugeridos das revisões também estão entre os mais baixos da categoria. E o valor médio do seguro também não é proibitivo.

Tracker LT 6 - Murilo Góes/UOL - Murilo Góes/UOL
Tracker encara dura concorrência, inclusive do recém-lançado VW Nivus
Imagem: Murilo Góes/UOL

Rivais não faltam para o Tracker LT. O mais óbvio deles é o Volkswagen T-Cross 200 TSI (R$ 88.790), especialmente por conta do motor 1.0 turbo de até 128 cv que equipa o SUV da marca alemã.

Porém, outro representante da VW, o Nivus Highline (R$ 98.290), desponta como forte concorrente em preço e, claro, motorização.

Bom também não esquecer dos rivais tradicionais, como Jeep Renegade, Hyundai Creta e Honda HR-V. É, não tá nada fácil para a GM mesmo.

Mecânica
  • Motorização

  • 1.0, 12V, 3 cilindros, flex

  • Combustível

  • Etanol / Gasolina

  • Potência (cv)

  • 116

  • Torque (kgf.m)

  • 16,8 / 16,3

  • Aceleração de 0 a 100 (segundos) (km/h)

  • 10,9

  • Velocidade máxima (km/h)

  • 177

  • Consumo cidade (km/l)

  • 8,2 / 9,6

  • Consumo estrada (km/l)

  • 11,9 / 13,7

  • Câmbio

  • automático de 6 marchas

  • Tração

  • dianteira

  • Direção

  • elétrica

  • Suspensão Dianteira

  • independente, McPherson

  • Suspensão Traseira

  • eixo de torção

  • Freios Dianteiros

  • discos ventilados

  • Freios Traseiros

  • tambor

Pneus e Rodas
  • Pneus

  • 215/60 R16

  • Rodas

  • 16 polegadas

Dimensões
  • Altura (mm)

  • 1624

  • Comprimento (mm)

  • 4270

  • Entre-eixos (mm)

  • 2570

  • Largura (mm)

  • 1791

  • Ocupantes

  • 5

  • Peso (kg)

  • 1228

  • Porta-malas (L)

  • 393

  • Tanque (L)

  • 44

Preço das Revisões, Seguro e Garantia
  • 10.000 km

  • R$ 300,00

  • 20.000 km

  • R$ 596.00

  • 30.000 km

  • R$ 496,00

  • 40.000 km

  • R$ 660,00

  • 50.000 km

  • R$ 476,00

  • 60.000 km

  • R$ 596,00

  • Seguro

  • R$ 2.700 (média)

  • Garantia

  • 3 anos

Equipamentos
  • Airbags Motorista

  • Airbags Passageiro

  • Airbags Laterais

  • Controle de Estabilidade

  • Controle de Tração

  • Freios ABS

  • Distribuição Eletrônica de Frenagem

  • Ar-Condicionado

  • Travas Elétricas

  • Ar Quente

  • Piloto Automático

  • Volante com Regulagem de Altura

  • Vidros Elétricos Dianteiros

  • Vidros Elétricos Traseiros

  • Central Multimídia

  • Rádio FM/AM

  • Entrada USB

  • Entrada Auxiliar

  • Banco do motorista com ajuste de altura

  • Desembaçador Traseiro

  • Computador de Bordo

  • Faróis de neblina

  • Abertura elétrica do porta-malas

  • Faróis com regulagem de altura