Morte de Gil Brother: AVC sempre deixa sequelas? Qual é o tratamento?

Jaime Gil da Costa,que ficou conhecido como Gil Brother Away no programa "Hermes e Renato", da MTV, morreu ontem aos 66 anos, no Rio de Janeiro. A informação foi confirmada por William Passos, sobrinho do humorista, por Splash.

Além dos cânceres que lutava contra, Jaime teve um AVC há seis meses. Ele foi socorrido após desmaiar em casa, ficou três meses internado e perdeu os movimentos do lado esquerdo do corpo.

De forma geral, o AVC é a morte de células do cérebro, que acontece pela interrupção do fluxo sanguíneo no órgão. Essa falta de circulação do sangue pode ocorrer de duas maneiras:

  • AVC isquêmico, quando há o entupimento de um vaso sanguíneo
  • AVC hemorrágico, quando esse vaso se rompe

Fugir das sequelas é uma possibilidade?

O AVC ocorre de forma súbita, aos primeiros sintomas é necessário procurar atendimento médico imediato, para um diagnóstico rápido, tratamento agudo, encaminhamento para uma reabilitação e acompanhamento multidisciplinar para amenizar sequelas.

O estudo Toward an epidemiology of post stroke spasticity, publicado no periódico científico Neurology, mostrou que:

  • de 50% a 83% dos pacientes que tiveram AVC ficaram com complicações motoras
  • enquanto 50% tiveram problemas cognitivos
  • de 23% a 36% dos casos registram complicações na fala
  • 10% convulsões
  • 8% dores
  • 20% distúrbios psicológicos

Não é possível especificar quais sequelas a pessoa que sofre um derrame terá, tudo depende do tipo de lesão, da extensão e da área do cérebro afetada. Entre os danos mais comuns estão:

Continua após a publicidade

Alterações na fala: se a área do cérebro afetada foi a responsável pela linguagem, a comunicação do paciente pode ficar prejudicada. Nesses casos, pode existir dificuldade na capacidade de falar e ser compreendido, além da capacidade de compreender mensagens.

Agnosia visual: incapacidade de reconhecer objetos e pessoas, mesmo sem ter comprometimento na visão.
Déficit de memória: o paciente com AVC pode perder a memória tanto de curto quanto de longo prazo. Além de ter confusão mental, esquecimentos pontuais --algo como esquecer de repente a receita de um bolo que sempre soube fazer.

Falta de sensibilidade: acontece quando a área do cérebro responsável por interpretar a sensibilidade é lesada.

Alterações motoras: imediatamente após o AVC pode acontecer uma perda do controle muscular voluntário, uma paralisia. Depois, o paciente pode desenvolver um aumento desproporcional da contração muscular de forma involuntária, chamada de espasticidade, que deixa os membros em posturas inadequadas, como mãos sempre fechadas ou ombros contraídos, podendo causar dor e desconforto.

Apraxias: o paciente pode perder a capacidade de realizar movimentos simples, pois o cérebro não consegue efetuar a programação motora de tal atividade. Também pode existir negligência, quando a pessoa tem uma falta de percepção da metade do corpo afetada no derrame, seja no campo motor, seja no visual, seja no sensitivo.

*Com informações de reportagem de VivaBem.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes