PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Covid: 89,9 milhões de brasileiros completam vacinação, 42,19% da população

Quase 90 milhões de brasileiros completaram a vacinação contra a covid-19 - Ricardo Moraes/Reuters
Quase 90 milhões de brasileiros completaram a vacinação contra a covid-19 Imagem: Ricardo Moraes/Reuters

Colaboração para o VivaBem, em São Paulo

29/09/2021 20h02Atualizada em 29/09/2021 20h17

O Brasil está perto de alcançar a marca de 90 milhões de habitantes que completaram a vacinação contra a covid-19. Ao todo, 89.995.594 brasileiros já receberam a segunda dose ou a dose única de imunizante, o equivalente a 42,19% da população nacional. Os dados foram levantados pelo consórcio de veículos de imprensa, do qual o UOL faz parte, com base nas informações fornecidas pelas secretarias estaduais de saúde.

Nas últimas 24 horas, 1.031.682 pessoas concluíram o esquema vacinal: 1.031.245 receberam a segunda dose e outras 437 tomaram a dose única. No mesmo período, houve a aplicação de 461.447 primeiras e 71.037 de reforço.

Entre ontem e hoje, foram aplicadas 1.564.166 doses de imunizante contra a doença, na soma de primeira, segundas, únicas e de reforço.

Até o momento, 145.989.521 brasileiros tomaram a primeira dose, o correspondente a 68,44% da população do país. No total, foram aplicadas 821.367 doses de reforço até agora.

Vacinação primeira dose 29/9 - UOL - UOL
Vacinação primeira dose 29/9
Imagem: UOL

Mato Grosso do Sul tem a maior proporção de habitantes com vacinação completa: 56,75% da população local. São Paulo (55,96%), Rio Grande do Sul (48,07%), Paraná (44,19%) e Espírito Santo (43,75%) vêm a seguir.

São Paulo aparece à frente, em termos percentuais, na proporção de sua população que já tomou a primeira dose: 78,91% de seus habitantes. Na sequência, estão Rio Grande do Sul (71,17%), Distrito Federal (70,73%), Santa Catarina (70,47%) e Paraná (69,52%).

Vacinação dose completa 29/9 - UOL - UOL
Vacinação dose completa 29/9
Imagem: UOL

Butantan: Sem acordos para Saúde adquirir mais CoronaVac

O presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas, disse que não há tratativas para o Ministério da Saúde adquirir mais doses da CoronaVac, para além das 100 milhões anteriormente contratadas. O Butantan é parceiro do laboratório chinês Sinovac na produção do imunizante no Brasil.

"Estamos, nesse momento, tratando do envio de vacinas para outros países da América da Sul e, inclusive, da África. E também aqui [no Brasil], para os estados brasileiros que firmaram contrato com o Butantan", disse Dimas Covas.

Segundo o presidente do instituto, os dois contratos com a Saúde, que envolviam a venda, no total, de 100 milhões de doses da CoronaVac (46 milhões em um, 54 milhões em outro), já foram cumpridos pelo Instituto Butantan, que entregou os imunizantes à pasta.

Ainda assim, pontuou ele, logo após o segundo contrato ser firmado, em fevereiro, "veio um ofício do ministério dizendo que haveria a possibilidade de uma extensão". "Agora, nunca houve tratativas para dar materialidade a esse ofício", disse.

Veículos se unem pela informação

Em resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia de covid-19, os veículos de comunicação UOL, O Estado de S. Paulo, Folha de S.Paulo, O Globo, G1 e Extra formaram um consórcio para trabalhar de forma colaborativa para buscar as informações necessárias diretamente nas secretarias estaduais de saúde das 27 unidades da federação.

O governo federal, por meio do Ministério da Saúde, deveria ser a fonte natural desses números, mas atitudes de autoridades e do próprio presidente durante a pandemia colocam em dúvida a disponibilidade dos dados e sua precisão.

Saúde