PUBLICIDADE

Topo

VivaBem

Maranhão retoma aulas presenciais na rede estadual em agosto e abre igrejas

Governo maranhense autoriza aulas presenciais, em agosto - Divulgação/Governo do Maranhão
Governo maranhense autoriza aulas presenciais, em agosto Imagem: Divulgação/Governo do Maranhão

Colaboração para o UOL

20/07/2021 15h00

O governo do Maranhão autorizou a volta das aulas presenciais na rede estadual de ensino, a partir de agosto. A informação foi divulgada pelo governador Flávio Dino (PSB), na manhã de hoje.

Além disso, foi anunciada a flexibilização de várias medidas como o fim da restrição de horário para o funcionamento de comércio, indústria, bares e restaurantes, e a reabertura de cinemas, teatros e igrejas. O governo manteve o uso obrigatório de máscara e o pedido de distanciamento social.

O retorno das aulas será em sistema híbrido e está previsto para 2 de agosto. A retomada será progressiva, de acordo com o tamanho de cada escola. Segundo o governador, a medida é possível devido a conclusão da vacinação dos profissionais da educação.

"Para que possamos fazer essa retomada, como praticamente todos os países do mundo já fizeram, com segurança sanitária, garantindo o direito ao trabalho para os profissionais da educação, e o direito à aprendizagem para os nossos estudantes", afirmou Dino.

As escolas das redes municipais dependem da autorização da gestão de cada cidade. As aulas presenciais foram suspensas em março deste ano, devido ao agravamento da pandemia.

A partir de hoje, o estado permitiu também eventos com até 200 pessoas, em ambientes fechados, e com até 400 pessoas, em ambientes abertos e ventilados, conforme o anúncio de Dino. Para o governador, estes eventos não são considerados grandes. "Não chegamos ainda a grandes eventos, porque grandes eventos reúnem muita gente e ampliam a possibilidade de contágio", destacou.

Além disso, o novo decreto libera o funcionamento de cinemas e teatros e a abertura de igrejas. A administração pública estadual retomará o trabalho presencial, com 100% da capacidade. Pessoas do grupo de risco vacinadas podem retornar ao trabalho presencial após 30 dias da segunda dose ou da vacina de dose única, exceto por gestantes. As atividades econômicas em geral estão liberadas sem restrição de horários. As medidas são válidas por dez dias e valerão até o dia 30 de julho.

Segundo a Secretaria da Saúde do Estado, a ocupação dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) está em 65% nesta semana, após ter alcançado mais de 90% neste ano. Já os leitos clínicos reduziram a ocupação para 48%. A taxa de contágio no Maranhão também teve queda e está em 0,92, o que significa que um infectado transmite para menos de uma pessoa.

Durante a coletiva, o governador destacou o papel das vacinas no combate à pandemia. Segundo dados divulgados ontem pela secretaria estadual de Saúde, o Maranhão aplicou a primeira dose em 2.681.621 (37,7% da população), sendo que 778.995 delas tomaram a segunda dose. Outras 79.224 receberam a vacina da Janssen, a única distribuída no Brasil que tem dose única para imunização.

O Maranhão realiza campanhas de sorteios de prêmios em dinheiro para aqueles que tomaram a segunda dose da vacina. "Quero mostrar que o avanço na vacinação salva vidas. Isto é importante de ser sublinhado para combater a rede de desinformação.", afirmou o governador.

De acordo com Dino, dos 217 municípios do Maranhão, 145 estão com alta produtividade na vacinação. No entanto, 72 cidades estão no patamar mais baixo de aplicação e, por isso, não devem receber novas doses enquanto não aplicarem o estoque disponível.

Desde março de 2020, o estado registrou 331.085 casos e 9.445 mortes por Covid-19, de acordo com a Secretaria de Estado da Saúde.

VivaBem