PUBLICIDADE

Topo

VivaBem

Estudo: piora na função erétil pode estar ligada ao consumo de pornografia

Disfunção erétil estaria associada ao consumo de pornografia - SasinParaksa/iStock
Disfunção erétil estaria associada ao consumo de pornografia Imagem: SasinParaksa/iStock

Do UOL, em São Paulo

17/07/2020 08h10

Um estudo apresentado ontem pela Associação Europeia de Urologia indica que a quantidade de pornografia consumida pode estar diretamente ligado ao nível de piora na disfunção erétil do homem.

O artigo indica que 23% dos homens com menos de 35 anos que participaram de um questionário online sobre o tema tinham algum nível de disfunção erétil ao fazer sexo.

Segundo o professor Gunter de Win, da Universidade da Antuérpia, na Bélgica, o percentual encontrado é maior do que os pesquisadores esperavam.

"Pessoas que assistem a mais pornô também tiveram maiores níveis na escala de vício a conteúdo pornográfico", acrescentou.

Para os avaliados — que foram mais de 3 mil moradores de Bélgica e Dinamarca —, 35% acham que o sexo da vida real não é mais estimulante do que conteúdos pornográficos.

A partir do questionário, o levantamento também identificou que, em média, um indivíduo do sexo masculino vê cerca de 70 minutos de pornografia por semana — de cinco a 15 minutos por dia.

"Porém, o trabalho foi feito para observar qualquer relação entre o pornô e as disfunções eréteis, e, dada a grande amostra, estamos bem confiantes com os achados", disse De Win.

VivaBem