PUBLICIDADE

Topo

Suco de uva integral tem tantos benefícios quanto o vinho tinto: conheça-os

iStock
Imagem: iStock

Fabiana Gonçalves

Colaboração para o VivaBem

29/04/2020 04h00

O vinho tinto é uma das poucas bebidas alcoólicas com fama de fazer bem a saúde. Mas de onde vêm esse benefício? Apesar de estar claro para a ciência que ele vem dos polifenois, substâncias presentes na casca da uva e com alto poder antioxidante, a sua presença era considerada maior no vinho, devido a forma como ele é feito: "Durante a fermentação das uvas roxas para a fabricação do vinho, o açúcar da fruta é transformado em etanol. E é exatamente quando o álcool liberado que a bebida fica mais tempo em contato com a casca da uva e assim consegue extrair uma maior quantidade de polifenóis", afirma Caroline Dani, biomédica e coordenadora da Comissão de Segurança e Saúde da OIV (Organização Internacional da Vinha e do Vinho) no Brasil.

Entre esses polifenois se destacam os taninos e o resveratrol, além dos flavonoides. "Eles também têm eficácia, pois ajudam na eliminação de placas de gordura, e no sistema circulatório, reduzindo o colesterol ruim (LDL)", endossa a nutricionista Maria Fernanda Vischi D'Ottavio, nutricionista do HCor (Hospital do Coração), em São Paulo.

Mas o suco integral tem sim seus benefícios

Por muito tempo, especialistas acreditaram que os benefícios não se estendiam à bebida da uva sem álcool, pois para a produção do suco, as uvas passam pelo processo de aquecimento e maceração para a liberação do sumo, sem que a fruta seja esmagada para evitar o resíduo amargo. Ou seja, o contato com a casca é menor.

"Porém, pesquisas mais recentes indicam que estes compostos bioativos estão presentes também no suco de uva integral", afirma Edson Credidio, nutrólogo e professor de pós-graduação da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas). Ou seja, quem não pode consumir o vinho por conta do álcool presente nele ou não aprecia bebida alcoólica, poderia colher os mesmos benefícios tomando suco de uva integral.

Um exemplo é o estudo feito pela cardiologista Silmara Regina Coimbra, do Incor do HC FMUSP (Instituto do Coração Hospiral das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo). A tese demonstrou que tanto o vinho tinto quanto o suco de uva causam efeitos benéficos no endotélio —camada que forra a parte interna dos vasos sanguíneos — o que aumenta a sua dilatação. Nessa camada é que se depositam as placas de gordura que atrapalham a circulação do sangue e são capazes de provocar o infarto.

Segundo Coimbra, a principal conclusão deste trabalho é que o suco de uva integral pode proteger o indivíduo contra a doença arterial coronária sem os riscos associados ao consumo do álcool.

Mas não vale qualquer suco: precisa ser o integral!

A nutricionista Gisele Pontaroli Raymundo, nutricionista e professora de Nutrição da PUCPR (Pontifícia Universidade Católica do Paraná) é importante que o suco consumido seja integral: não adianta confundi-lo com bebidas com sabor da fruta, que são artificiais, e possuem aditivos químicos diluídos em água açucarada. Ou seja, não trazem quase nada do suco original da fruta e de seus polifenóis.

Além disso, ela ressalta que por mais que esse item seja um alimento funcional, não deve ser consumido indiscriminadamente e sozinho não trará tantos benefícios à saúde assim. "Ele precisa fazer parte de um estilo de vida saudável e uma alimentação equilibrada com oferta de todos os grupos alimentares", orienta.

É fato que o suco de uva integral perde parte das fibras durante o processo de fabricação. E ai cabe a pergunta:

E os benefícios da fruta in natura?

Muito nutritiva, a uva pode trazer vários benefícios à saúde, da semente até a casca. Entre as substâncias que ela tem e que nos fazem bem estão as catequinas, os carotenos e também flavonoides. Assim como acontece com o vinho e o suco de uva integral, a uva age como antioxidante, prevenindo diversas doenças, e é cardioprotetora, pois favorece a circulação sanguínea. A diferença é que tanto o vinho como o suco têm uma concentração maior desses compostos bioativos em uma pequena porção.

A casca e as sementes da matéria-prima do vinho devem ser sempre consumidas, pois são nelas que estão grande parte das substâncias ativas benéficas à saúde. "Quanto mais escuras forem as uvas, maior é a quantidade de flavonoides, que evitam a oxidação das células e fazem uma varredura, prevenindo o entupimento das artérias", afirma Dani.

Quanto consumir

As uvas podem ser consumidas diariamente. A recomendação nutricional é de um cacho pequeno (100 gramas) por dia. Mas como ela é sazonal, quando não for possível consumir a fruta in natura, a recomendação é trocá-la pelo suco de uva integral, 300 ml por dia (divididos entre almoço e jantar).

Já o vinho tinto, a recomendação é de 120 ml por dia, para mulher, e 240 ml por dia, para os homens, quando não houver nenhuma restrição.

Fontes: Caroline Dani, biomédica, coordenadora da Comissão de Segurança e Saúde da OIV (Organização Internacional da Vinha e do Vinho) no Brasil e professora de mestrado de Biociências e Reabilitação do Centro Universitário Metodista IPA, em Porto Alegre (RS); Edson Credidio, médico angiologista e cirurgião vascular, doutor em Ciências de Alimentos pela Unicamp (Universidade Estadual de Campinas); Gisele Pontaroli Raymundo, nutricionista e professora de Nutrição da PUCPR (Pontifícia Universidade Católica do Paraná); Maria Fernanda Vischi D'Ottavio, nutricionista do Hospital do Coração (HCor), em São Paulo; Silmara Regina Coimbra, doutora em Cardiologia pelo Incor da USP (Instituto do Coração da Universidade São Paulo); e William Máximo, professor de Enogastronomia da pós-graduação em Gastronomia, do Centro Universitário de Maringá (Unicesumar), no Paraná.