PUBLICIDADE

Topo

"O passo inicial para secar 50 kg foi olhar no espelho e dizer: eu consigo"

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

Simone Cunha

Colaboração para o VivaBem

12/03/2020 04h00

Bruno Bezerra, 31 anos, não tinha limites para a comida e aos 16 anos precisou realizar uma cirurgia nas mamas por causa do excesso de peso. Na época da faculdade, ele chegou a 135 kg. Isso abalou sua autoestima e Bruno perdeu a motivação para trabalhar, estudar, namorar, sair com os amigos. A seguir, ele conta como encontrou forças para mudar de hábitos e emagrecer:

"Sempre fui gordinho e na infância gostava de comer muito e de tudo: arroz, feijão, bife, pizza, lasanha, hambúrguer, batata fritas, chocolate. Por conta do excesso de peso, sofria muito bullying na escola e, aos 16 anos, tive de realizar uma cirurgia para a retirada da glândula mamária, pois havia excesso de volume no peito.

Para o procedimento ter sucesso, precisei também fazer uma lipoaspiração, seguir uma dieta planejada por um nutricionista e realizar exercícios físicos. Assim, emagreci bastante e consegui manter o peso ideal até entrar na faculdade. Por causa do trabalho e estudos, fiquei sem tempo para ir à academia e relaxei. Voltei a me alimentar mal, tomar muito refrigerante e bebida alcoólica... Nesse ritmo, não demorei muito para chegar a 135 kg.

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal
O excesso de peso me incomodava e abalava minha autoestima --o que prejudicava meu namoro. Eu tinha dificuldade para comprar roupas, sentia vergonha de tirar a camiseta na praia. Sofria sozinho e tinha vergonha de compartilhar isso com outras pessoas --tanto que praticamente não tenho fotos da época em que estava acima do peso. Vivia desmotivado para tudo: estudar, trabalhar, sair e até para namorar.

A decisão de mudar surgiu em junho de 2016. Em um dia, acordei e, como sempre, passei pelo espelho com medo de encará-lo. Então, resolvi voltar, fiquei de frente para minha imagem no espelho e disse: 'Vou mudar, eu consigo!'. Nesse mesmo dia, quando cheguei ao trabalho, marquei uma consulta com um clínico geral.

Na consulta, o médico perguntou se eu queria fazer bariátrica. Disse que não e que conseguiria emagrecer por conta própria. O especialista me passou uma bateria de exames e descobri que o excesso de gordura tinha afetado minha saúde: estava com o ácido úrico altíssimo e com muita gordura no fígado —o que futuramente, poderia se tornar um câncer.

Comecei a fazer exercícios e procurei uma nutricionista que me ajudou muito a adotar uma dieta equilibrada. Troquei o pão branco pelo integral, diminui açúcar e outros carboidratos e cortei refrigerante e frituras. Passei a ingerir bastante água durante o dia, frutas e verduras. Falando assim pode até parecer fácil, mas o processo teve vários obstáculos.

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal
No segundo dia de treino, meu tênis rasgou devido ao meu peso; em outra situação a esteira de casa queimou, pois também não aguentou o peso. Os problemas foram surgindo e precisei encontrar caminhos para não desanimar. O que me ajudou bastante nisso foram vídeos motivacionais no Youtube. Também busquei ser minha própria motivação, pois percebi que todo esforço no treino e na dieta estava me dando um bom retorno

Os elogios que recebia de outras pessoas também contribuíram bastante. Durante todo o processo, a compulsão alimentar, a vontade de comer muito e a dúvida se iria conseguir buscar meu objetivo, muitas vezes, me pegavam. Em diversos momentos achei que essa seria só mais uma tentativa em vão. Ainda assim, continuei a minha luta!

Quando uma dificuldade surgiu, eu não baixava a cabeça e buscava uma solução para passar por cima das barreiras. Por exemplo: a esteira de casa queimou? Fui lá e me matriculei na academia, onde não faltam aparelhos para treinar.

O mais importante no meu processo de emagrecimento foi colocar na cabeça que nada me faria desistir"

Com essa determinação, consegui eliminar 50 kg em oito meses. Percebo que buscar uma mudança de hábitos foi a melhor decisão que tomei em minha vida. Ainda faço dieta, mas é para ganho de massa muscular. Atualmente, estou com 92 kg (tenho 1,86 m de altura) e almejo chegar a 100 kg.

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal
Meu grande desafio é não voltar a engordar e, para isso, não posso relaxar e considerar que posso comer o que quiser. Não é bem assim que funciona. Sei que costuma ser bem mais difícil uma pessoa se manter magra do que perder peso. Por isso, sigo 100% focado, para continuar aproveitando todos os efeitos positivos e a qualidade de vida que perder peso me proporcionou.

Após emagrecer, passei a dormir melhor, sentir menos cansaço e ter disposição para fazer tudo que quero. Consigo bater todas as minhas metas diárias sem sentir cansaço, sem ter dor de cabeça ou dor na lombar. Termino o dia com aquela sensação de dever cumprido e meta batida."