PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Falha no cérebro gera ânsia por alimentos calóricos; exercício pode ajudar

Fazer bons hábitos alimentares durante infância e adolescência pode ajudar a preparar uma alimentação saudável para toda a vida - iStock
Fazer bons hábitos alimentares durante infância e adolescência pode ajudar a preparar uma alimentação saudável para toda a vida Imagem: iStock

Do UOL VivaBem, em São Paulo

27/02/2019 12h55

Resumo da notícia

  • Diferenças na estrutura e funcionalidade do córtex pré-frontal podem desempenhar papel na susceptibilidade ao consumo excessivo de alimentos calóricos
  • Exercícios físicos e mindful eating podem ajudar a regular a atividade dessa região do cérebro
  • Os pesquisadores esperam que as descobertas pavimentem o caminho para novos tratamentos

Variações na estrutura e na funcionalidade do córtex pré-frontal podem estar por trás da vontade por alimentos mais calóricos. Felizmente, exercícios físicos e atenção plena durante as refeições melhoram a atividade dessa região do cérebro. A conclusão é de um estudo realizado por pesquisadores da Western University, no Canadá, e publicado no periódico Trends in Cognitive Sciences na terça-feira, (26).

Os cientistas revisaram diversas pesquisas sobre a relação entre o apetite, o autocontrole e o cérebro. "Nossa revisão mostra que, se você tem menor atividade pré-frontal, pode ter maior predisposição a comer demais, o que pode levar ao ganho de peso e obesidade", diz Cassandra Lowe, que liderou o estudo.

Lowe e seus colegas dizem que há um corpo significativo de pesquisas sugerindo que os indivíduos que têm menos atividade no córtex pré-frontal quando tomam uma decisão podem também estar propensos a ter mais alimentos ricos em calorias. Essas pessoas também podem ser mais vulneráveis a dicas de comida, como anúncios de comida.

Além disso, a obesidade também parece afetar essa região do cérebro. "A obesidade causa esses problemas na estrutura e função do cérebro, mas essa relação é recíproca --as diferenças na estrutura e função do cérebro também podem causar a obesidade", diz Lowe.

Exercícios e mindfulness ajudam

De acordo com os cientistas, o melhor jeito para estimular a atividade do córtex pré-frontal e regular os comportamentos alimentares é investir em exercícios físicos e em mindful eating, ou melhor, praticar a atenção plena durante as refeições.

"Foi demonstrado que o exercício aumenta a atividade em nosso córtex pré-frontal, o que, por sua vez, permite-nos ignorar os desejos por comida", explica Lowe. Segundo ela, além disso, ao focarmos na saúde e nas consequências a longo prazo dos alimentos que estamos comendo, em vez de apenas saborear, podemos fazer melhores escolhas alimentares.

Os autores admitem que mais pesquisas são necessárias para certificar os benefícios do exercício e mindfulness para o tratamento da obesidade. Entretanto, eles estão otimistas. "Reenquadrando a questão da obesidade em torno da atividade do córtex pré-frontal, em oposição à responsividade da região de recompensa, podemos explorar tratamentos e medidas preventivas que podem inibir o ganho de peso indesejado", diz Lowe.

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube

Saúde