Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Mais anos de vida, energia e pele bonita; veja 7 benefícios de dormir bem

sono, boa noite, dormir - iStock
sono, boa noite, dormir Imagem: iStock

Ana Carolina Nunes

Colaboração para UOL VivaBem

26/10/2018 04h00

A função do sono não é apenas o descansar o corpo e a mente. Dormir também é fundamental para que nosso organismo mantenha o equilíbrio bioquímico, principalmente os processos de produção e liberação de hormônios.

É enquanto dormimos, por exemplo, que produzimos a melatonina, hormônio essencial na regulação do próprio sono e na reparação celular.

Dormir menos do que deveríamos ou dormir mal tem efeitos imediatos no nosso organismo, como falta de disposição, dificuldade de foco e concentração e menor retenção de informações. Além disso, em longo prazo, aumenta o risco de problemas como diabetes e AVC.

Mas o nosso objetivo não é convencer ninguém a ir mais cedo para a cama por causa dos prejuízos que isso traz, e sim devido aos seus benefícios, que você confere a seguir. 

VEJA TAMBÉM

1. Você pode viver mais tempo 

Com os sistemas do organismo em bom funcionamento, em conjunto com uma alimentação adequada e atividade física, o corpo só tem a se beneficiar e isso pode influenciar na maior longevidade com boa saúde. Se os diferentes sistemas do corpo (circulação, digestão etc.) estiverem desregulados, é como se sobrecarregasse o organismo e ele estivesse em constante 'estresse', causando o equivalente a um 'desgaste'. 

2. Produção de hormônios em dia

Os hormônios, principalmente o de crescimento e o hormônio cortisol, não são secretados de maneira contínua durante o dia. O ritmo circadiano, que é o ciclo biológico dos seres vivos e está alinhado à variação de dia e noite, é quem dá o sinal para que nosso organismo os secrete ou os produza.

Por exemplo, a melatonina e o hormônio do crescimento são liberados enquanto dormimos. Já o cortisol, hormônio importante na metabolização de glicose no fígado e em situações de estresse, tem liberação pouco significativa durante o sono, porém com picos durante o dia. Com o sono desregulado, o cortisol por sua vez sofre interferência e pode ser liberado em maior quantidade no organismo, trazendo prejuízos, com resistência à insulina e consequente diabetes.

3. Muito mais foco, concentração e atenção

O sono serve para descansar e é o momento também de absorver algumas informações processadas ao longo do dia. Com a mente sem descanso adequado, há a imediata diminuição da capacidade cognitiva e a redução de atenção e concentração.

Com isso, temos dificuldade de manter o foco, principalmente para atividades mentais, como estudar, escrever, ler, elaborar um planejamento etc. Isso chama-se fadiga mental, popularmente chamada de 'cérebro cansado'.

Essa fadiga dificulta o raciocínio, a memorização e aumenta a chance de erros, muitas vezes banais, durante essas atividades.

4. Humor melhora muito

A fadiga mental afeta diretamente não só a memória, o foco e a atenção como também o humor. Sem o descanso da mente, aumenta a irritabilidade e diminui a paciência. 

5. Disposição, vitalidade e energia

Mente e corpo descansados são fundamentais para a sensação de disposição necessária para as atividades físicas e mentais do dia. Para ter essa vitalidade e energia, só com a renovação celular, o equilíbrio bioquímico do organismo e o descanso do cérebro que o sono proporciona.

6. Pele

A renovação celular que ocorre durante o sono e os outros benefícios trazidos por esse descanso, refletem diretamente na pele e expressões faciais. Uma das primeiras consequências de uma noite mal dormida é o aparecimento das olheiras. 

7. Pressão arterial e circulação sanguínea

Todas as funções vitais, como as cardiovasculares, funcionam, no mínimo, mais próximo do mais adequado quando cumprimos com a quantidade de sono que nosso corpo precisa para se recompor.

Quanto tempo preciso dormir?

A quantidade de horas necessárias para uma boa saúde é relativa, variando conforme a idade e o organismo de cada um. Para um adulto saudável, em média, o ideal são entre sete e oito horas de sono. "Mas é normal alguns precisarem de nove horas e outros ficarem bem com apenas seis", esclarece Andrea Bacelar, neurologista e presidente da ABS (Associação Brasileira do Sono).

Como saber se estou dormindo o suficiente?

Para identificar qual a quantidade ideal de sono de cada um, estando com boa saúde, a pessoa deve sentir "pouca ou quase nenhuma sonolência durante o dia", explica o professor Mario Pedrazzoli, que é orientador nos programas de Neurociências e Comportamento e Estudos Culturais da USP.

VEJA TAMBÉM

Respeitando essa necessidade biológica, os benefícios para a saúde são diversos e fundamentais para a qualidade de vida. "Dormindo adequadamente, todos os sistemas vão funcionar como deveriam", diz Bacelar. Esse sono "precisa ser reconfortante, permitindo que a pessoa atinja o estágio profundo, essencial para descansar o corpo e recuperar o cérebro, além de ajudar na modulação dos hormônios", reforça o médico endocrinologista Rodrigo Moreira.

Fontes: Andrea Bacelar, médica neurologista e presidente da Associação Brasileira do Sono (ABS); Mario Pedrazzoli, professor e pesquisador na Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da Universidade de São Paulo (USP) e orientador nos programas de Neurociências e Comportamento e Estudos Culturais, e Rodrigo Moreira, médico endocrinologista e membro da diretoria da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM).

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube