Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Quer guardar na memória um cheiro bom? Respire só pelo nariz

Aqueles que não respiram pela boca conseguem memorizar cheiros melhor, segundo estudo - iStock
Aqueles que não respiram pela boca conseguem memorizar cheiros melhor, segundo estudo Imagem: iStock

Do UOL VivaBem, em São Paulo

22/10/2018 21h11

O jeito como respiramos pode afetar a forma como nossa memória é consolidada no cérebro. Se respirarmos pelo nariz -e não pela boca- ao tentarmos registrar fragrâncias diferentes, nos lembraremos melhor delas, segundo estudo publicado no periódico científico Journal of Neuroscience.

“Essa é a primeira vez que alguém confirma que lembramos melhor do cheiro quando respiramos pelo nariz quando nossas memórias estão sendo consolidadas, processo que acontece entre o aprendizado e a recuperação da memória”, diz Artin Arshamian, pesquisador responsável pelo artigo. Ou seja, está dando tchau para o crush e quer guardar bem o cheirinho? Use só seu nariz.

VEJA TAMBÉM

Para a pesquisa, os cientistas fizeram voluntários sentirem 12 odores diferentes. Depois disso, os participantes tinham que respirar só pelo nariz ou apenas pela boca por uma hora. Quando o tempo acabou, os voluntários foram presenteados com o velho kit de 12 cheiros e um novo conjunto, com mais 12 fragrâncias. A missão era cheirar os 24 frascos e dizer quais eram os novos e quais se repetiam.

Os resultados mostraram que quando os participantes respiraram pelo nariz entre o tempo de aprendizado e reconhecimento, eles acertaram mais, ou seja, se lembram melhor dos cheiros.

“Nosso próximo passo é medir o que realmente acontece no cérebro durante a respiração e como isso está ligado à memória”, afirma Arshamian. “"A ideia de que respirar afeta nosso comportamento não é nova. Na verdade, o conhecimento existe há milhares de anos em áreas como a meditação. Mas ninguém conseguiu provar cientificamente o que realmente acontece no cérebro, mas agora estamos desenvolvendo ferramentas para isso”.

SIGA O UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook - Instagram - YouTube

Saúde