PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Nova descoberta pode diminuir efeitos colaterais de remédio para asma

iStock
Imagem: iStock

Do VivaBem

17/03/2018 18h06

Os corticosteroides, drogas usadas para tratar uma série de doenças como asma e doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), podem causar efeitos colaterais. Um deles é a insuficiência adrenal, comum em até um terço das pessoas que usam esses remédios e que pode inclusive causar a morte. Felizmente, um novo estudo identificou uma maneira de melhorar a segurança e a eficácia desses corticosteroides.

Pessoas com a insuficiência adrenal não produzem cortisol suficiente. Esse hormônio ajuda o corpo a responder ao estresse, a se recuperar de infecções e a regular a pressão arterial e o metabolismo. O diagnóstico é difícil, já que os sintomas são variados e podem ir de cansaço a doenças mais graves como hipoglicemia.

Veja também:

A pesquisa da Universidade de Liverpool, publicada na sexta-feira (16) no periódico Lancet Respiratory Medicine, analisou os genes de 580 crianças com asma e um grupo menor de adultos com DPOC, todos utilizavam medicamentos para corticosteroides inalados.

corticosteroides - iStock - iStock
Os corticosteroides presentes nas bombinhas de asma podem ter efeitos colaterais
Imagem: iStock

Os cientistas descobriram que indivíduos que tiveram uma variação particular em um gene específico apresentaram um risco muito maior de insuficiência adrenal, tanto nas crianças com asma como em adultos com DPOC.

"Nossas descobertas oferecem o potencial para desenvolver abordagens personalizadas, fazendo com que determinados pacientes evitem ou minimizem o uso de esteroides, se eles tiverem alto risco de ter efeitos colaterais”, disse Dan Hawcutt, conferencista sênior de farmacologia clínica pediátrica da Universidade.

"No entanto, é importante ressaltar que os esteroides são medicamentos eficazes e os pacientes não devem parar de tomar esses medicamentos sem a indicação médica”, acrescentou ele. “Se você está preocupado com quaisquer efeitos colaterais, consulte seu médico.”

VIVABEM NAS REDES SOCIAIS
Facebook | Instagram | YouTube

Saúde