PUBLICIDADE

Topo

"Emagreci 60 kg depois de não encontrar uma jaqueta que me servisse"

Arquivo Pessoal
Imagem: Arquivo Pessoal

Thamires Andrade

Do VivaBem, em São Paulo

01/02/2018 04h00

Apesar da balança marcar 133 kg, o recepcionista Giovani Borges Chiarelli, de 24 anos, só notou que estava muito acima do peso quando não achou roupas para seu tamanho. Com o susto, ele mudou o estilo de vida e entrou em forma:

"Sempre fui muito magro. Na infância, cheguei a tomar medicamento para estimular a fome. Quando completei 18 anos, passei a ficar muito tempo em frente ao computador e virava a madrugada comendo. Era viciado em refrigerante. Tomava dois litros por dia e não conseguia ficar sem a bebida nas refeições.

Minha família começou a ficar preocupada pois eu vivia como um velho sedentário. Eles falavam que estava acima do peso e comia demais, mas eu me olhava no espelho e não me enxergava daquela maneira

Giovani emagreceu após não achar uma jaqueta que servisse - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Imagem: Arquivo Pessoal
Quando me alistei no exército, comecei a perceber que realmente estava acima do peso. Não tirava foto, me escondia em todas as imagens. Um dia, fui comprar uma jaqueta e não achei nada que coubesse em mim. Foi aí que vi que precisava mudar meu estilo de vida.

Tinha medo de subir na balança. Um dia meu pai foi comigo na farmácia e explicou a importância de eu saber o quanto pesava. Não tinha ideia de que estava com 133 kg. Desci da balança quase chorando.

O mesmo computador que me fez cair no sedentarismo foi o que me ajudou na hora que quis emagrecer. Comecei a pesquisar sobre alimentação e atividade física na internet, assisti a vários vídeos sobre o assunto.

Como estava muito acima do peso, tinha vergonha de ir para a academia. Meu pai e eu encontramos uma bike ergométrica que cabia no orçamento e comecei a pedalar em casa mesmo. Emagreci os primeiros 30 kg em seis meses, na base do exercício e da alimentação regrada.

Giovani -- Como Emagreci - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Imagem: Arquivo Pessoal
Do cardápio, saíram as pizzas e os hambúrgueres e entraram os vegetais --antes não comia nenhum--, as saladas e outros alimentos saudáveis, como ovo. Cortei o refrigerante aos poucos. No começo, sentava para almoçar e colocava metade de refri no menor copo da casa, até o dia em que parei de tomar de vez.

Depois desses seis meses, comecei a ter mais dificuldade para eliminar os 30 kg que faltavam. Em vários momentos senti vontade de desistir. Principalmente quando fazia a dieta certinha por duas semanas e só emagrecia 300 g. Mas fui lutando contra isso. Quando ficava com aquela vontade de comer bolo ou pizza, pensava que, se cedesse a esse desejo, ficaria ainda mais longe do meu objetivo.

Além de me dedicar na musculação, passei a fazer mais aeróbico e a comer carboidratos bons, como batata-doce. Em um ano, cheguei aos 73 kg.

Depois que emagreci, minha vida mudou completamente. Antes, só vestia roupa preta para marcar menos e aparentar magreza. Não subia uma escada sem ficar exausto. Agora, corro 5 km e estou sempre disposto.

Guardo até hoje a única jaqueta que consegui comprar no dia em que percebi que precisava emagrecer. Estou 60 kg mais magro e faço dieta para ganhar massa muscular, pois fiquei com um pouco flacidez nos glúteos e no abdome. Como alcancei meu peso, me dou ao luxo de tomar um sorvete ou comer uma pizza de vez em quando"