PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Vírus injetável no sangue pode ser usado para tratar tumores no cérebro

iStock
Imagem: iStock

Do VivaBem

04/01/2018 11h37

Cientistas da Universidade de Leeds, no Reino Unido, descobriram um vírus que pode agir como uma imunoterapia eficaz em pacientes com câncer no cérebro.

Veja também:

Publicado no periódico Science Translational Medicine na quarta-feira (3), o estudo mostrou que um tipo de vírus, quando injetado no sangue, pode atravessar a barreira hematoencefálica (membrana que protege o cérebro de substâncias tóxicas presentes no sangue) e matar células tumorais, sem alterar as células saudáveis.

Os cientistas também descobriram que o vírus estimula o sistema imune do próprio corpo, atraindo glóbulos brancos para o local para combater o tumor.

"Nossos sistemas imunológicos não são muito bons em ‘enxergar’ os cânceres --em parte porque as células cancerosas se parecem com as do nosso corpo e também porque os cânceres são bons para dizer as células imunes para fechar os olhos”, disse o autor principal, Alan Melcher.

Contudo, no estudo, os pesquisadores foram capazes de mostrar que o vírus poderia infectar células cancerosas no cérebro e, o que é mais importante, os tumores cerebrais infectados se tornaram muito mais visíveis para o sistema imunológico.

Pacientes já estão testando o novo tratamento

Para os testes, foram selecionados nove pacientes, nos quais o vírus foi injetado na veia em uma dose única. Todos os voluntários tinham tumores cerebrais que se espalharam para outras partes do corpo.

Tumor; cérebro - iStock - iStock
Vírus estimula o sistema de defesa do corpo a agir contra células cancerígenas
Imagem: iStock

Após o estudo, os pacientes removeram os tumores cerebrais cirurgicamente. Depois das operações, os pesquisadores analisaram as amostras e encontraram o vírus nelas, mostrando claramente que ele conseguiu atingir o câncer.

Essas descobertas já estão sendo aplicadas em testes com outros pacientes, que recebem a injeção com o vírus, além de quimioterapia e radioterapia. O tratamento de um paciente já está em andamento --ele recebe 16 doses do vírus para tratar seu glioblastoma (tumor maligno que afeta o cérebro).

A razão pela qual ele está recebendo múltiplas doses é por causa da forma como o vírus ativa o sistema imunológico. Esse experimento determinará quão bem os pacientes com câncer podem tolerar o tratamento, uma vez que o vírus cria efeitos colaterais gripais, e se ele torna a radio e a quimioterapia mais efetivos.

"A presença de câncer no cérebro amortece o próprio sistema imunológico do corpo. A presença do vírus neutraliza isso e estimula o sistema de defesa", disse a oncologista Susan Short, que também está liderando os testes.

"Nossa esperança é que o efeito adicional do vírus no aumento da resposta imune do corpo ao tumor aumente a quantidade de células tumorais que são mortas pelo tratamento padrão de radioterapia e quimioterapia".

SIGA O VIVABEM NAS REDES SOCIAIS

Facebook: https://www.facebook.com/VivaBemUOL/
Instagram: https://www.instagram.com/vivabemuol/
Inscreva-se no nosso canal no YouTube: http://goo.gl/TXjFAy

Saúde