Topo

Ex-gordinhos, hoje eles são sarados e disputam concursos de beleza

Ana Elisa Faria

Colaboração para o UOL

24/05/2017 04h00

Cristian Fin, Júnior Garcia e Raphael dos Anjos são belos e sarados. Mas, acredite: os três já estiveram acima do peso e ralaram muito para mudar de vida. Com alimentação saudável e muito  exercício, eles redefiniram seus corpos e agora disputam o título de Mister Brasil, concurso que vai escolher, em 12 de agosto, o homem mais bonito do país.

Ao UOL, eles contaram suas trajetórias de emagrecimento:

Cristian Fin  - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Cristian Fin chegou a pesar 110 quilos e hoje tem 85
Imagem: Arquivo Pessoal

Cristian Fin, 21, estudante de direito e filosofia e mister Pampa Gaúcho

“Fui gordo durante toda a minha infância e adolescência. Cheguei a pesar 110 quilos. Aos 18 anos, tive um choque e senti medo da obesidade porque algumas pessoas da família descobriram problemas de saúde relacionados ao coração. A partir daí, decidi me cuidar. Fiz matrícula na academia, comecei a correr e busquei uma nutricionista para regular minha alimentação no dia a dia. Fui seminarista por anos e tinha uma rotina saudável até, porém, dava um jeito de comer bastante besteira. Minha família é do interior Rio Grande do Sul, somos descendentes de italianos. Então, sempre comi muita massa, pizza. Minha mãe foi se influenciando ao perceber que eu estava mudando a alimentação e me cuidando. Agora, tenho 85 quilos. Quando visito os meus pais, sempre tem salada, arroz integral e frango grelhado.”

Júnior Garcia chegou aos 117 quilos e hoje tem 90 - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Júnior Garcia chegou aos 117 quilos e hoje tem 90
Imagem: Arquivo Pessoal

Júnior Garcia, 27, músico, bacharel em direito e mister Minas Gerais

“A partir dos 19 anos, comecei a engordar. Cheguei aos 117 quilos, mas percebi que estava gordo quando fiz uma avaliação física e tive o laudo de obesidade. Aí fiquei preocupado. Mesmo assim, o que me fez querer mudar não foi a saúde: foram os olhares das pessoas na rua. Isso me incomodava. Muita gente também falava. Eu sofria bullying e ouvia comentários maldosos no dia a dia. Escutava coisas como 'Júnior, aonde você vai chegar? Se continuar assim, você não conseguirá mais passar pela porta'. Ficava ofendido e chateado. Daí, pensava: 'poxa, tenho condições de ter um corpo legal, já representei a minha cidade [Sete Lagoas] em um concurso de beleza, quando tinha de 16 para 17 anos, e hoje não faço nada, estou obeso'. Eu me alimentava mal, comia bobagens o tempo todo, não ia à academia. Tudo isso me machucava. Minha autoestima estava lá embaixo. Ia comprar roupas e tinha que pedir o tamanho 46. Tinha flancos e culote. Ficava com vergonha de sair de casa. Foi um período difícil. Depois de uma conversa comigo mesmo no espelho, decidi mudar de vida. Aos 23, iniciei o processo de emagrecimento. Pesquisei muito na internet, li bastante e estudei os alimentos. Hoje, tenho 90 quilos e passo com um nutrólogo, que também me ajuda. Sigo a dieta à risca, mas como coisas de que gosto. Quando caio em tentação, é na certa. Se quero um doce, como um chocolate 85% cacau, que é mais saudável. Além disso, malho, corro e nado.”

Raphael dos Anjos - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Em 2012, Raphael dos Anjos chegou aos 132 quilos e hoje tem 83
Imagem: Arquivo Pessoal

Raphael dos Anjos, 29, tradutor e mister Paraíba