PUBLICIDADE

Topo

Dr. Kalil

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

'Corrente da sobrevivência': 5 pilares de atendimento ao paciente com covid

iStock
Imagem: iStock
Roberto Kalil

Roberto Kalil Filho é médico cardiologista, professor titular da disciplina de Cardiologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), presidente do Instituto do Coração (inCor/HCFMUSP) e diretor do Centro de Cardiologia do Hospital Sírio-Libanês. É responsável pelo portal de saúde Dr Kalil Coração & Vida, consultor do quadro Bem Estar, do programa ?Encontro?, da Rede Globo, e estreou o programa Minuto do Coração, na Jovem Pan.

Colunista do UOL

31/05/2021 04h00

A pandemia de covid-19 subiu ao posto de prioridade número um no atendimento de todas as redes de saúde no mundo. Mas, como se trata de uma nova doença para a qual não havia protocolos bem estabelecidos, muitas pessoas podem não ter tido atendimento 100% adequado. Aprendemos muito, sim, mas ainda seguimos neste caminho de estudo e conhecimento contínuos.

Foi considerando justamente isso, que pesquisadores da SBC (Sociedade Brasileira de Cardiologia) e da ABME (Associação Brasileira de Medicina de Emergência) desenvolveram a chamada Corrente da Sobrevida da covid-19.

Trata-se de diretrizes e protocolos baseados em um conjunto de cinco pontos que servirão para nortear o atendimento de pacientes infectados com o novo coronavírus.

Entre os pilares, estão: ciência (medicina baseada em evidências); sensibilização e conscientização da população; treinamento de profissionais de saúde; equipamento e estruturação do atendimento pré-hospitalar e do hospital; e retorno do paciente e da equipe.

O cardiologista do InCor (Instituto do Coração) e da SBC, Sergio Timerman (um dos autores do documento) explica que a proposta da 'Corrente da Sobrevivência' foi baseada no protocolo lançado em 1989 pela Associação Americana de Cardiologia.

"Um atendimento com base nesses pontos eleva muito as chances de sobrevivência do paciente, e de preservação do profissional de saúde que o estiver atendendo", disse.

Adotar esses cinco passos em toda a rede de saúde do país, pública e privada, poderá ser a maneira de fazer com que a ciência guie cada vez mais o trabalho de médicos e enfermeiros.

São os meios de evitar o contágio, conter a transmissão e preservar vidas da forma mais segura.

Pilares da Corrente da Sobrevivência - Reprodção/SBC - Reprodção/SBC
Imagem: Reprodção/SBC

Veja mais detalhes no artigo completo.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL