PUBLICIDADE

Topo

Nuno Cobra Jr

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Na realidade, só existe uma atividade física que funciona

iStock
Imagem: iStock
Conteúdo exclusivo para assinantes
Nuno Cobra Jr

Nuno Cobra Júnior é um generalista do conhecimento corporal e acompanhou o treinamento físico e mental de alguns dos maiores esportistas brasileiros nos últimos 35 anos, entre medalhistas olímpicos e diversos campeões mundiais, como Ayrton Senna e o surfista Ítalo Ferreira. Preparador físico e mental, palestrante, consultor em qualidade de vida e treinamento integral, tem ajudado a conceitualizar e fomentar uma nova visão do treinamento físico, longe dos modismos e dos modelos hegemônicos de treinamento. O autor do livro O Músculo da Alma – a Chave para a Sabedoria Corporal, Nuno defende a inovação e a renovação do treinamento físico. É fundador de uma nova abordagem metodológica que une a filosofia, a psicologia e diversas áreas do conhecimento corporal, aplicados ao treinamento físico. Veja mais em www.treinamentoconsciente.com.br

Colunista do VivaBem

22/04/2021 04h00

E qual seria essa atividade milagrosa? Aquela que você consegue aderir com regularidade. Simples assim! A lucidez e a sensatez corporal estão fora de moda, infelizmente, e isso tem atrapalhado enormemente o desenvolvimento de uma relação positiva com a atividade corporal.

Diferentemente do que afirmam 99% das matérias sobre treinamento físico atualmente, o principal segredo do treinamento está na regularidade e não na intensidade.

O mercado do treinamento não aprecia muito essa realidade, mas, como bem sabem os treinadores, não importa muito quais exercícios, técnicas e ferramentas você escolha, porque, no fim, elas só irão funcionar se você for capaz de manter a regularidade por um longo período.

No entanto, a maioria das pessoas começam e param o treinamento, a todo momento, tendo enorme dificuldade em aderir a uma rotina regular.

Afinal, o que está escondido na raiz desse problema?

Tudo começa na manutenção de um mito dominante, muito antigo, quase caduco, que interessa ao mercado, afirmando que não é possível atingir bons resultados sem sofrimento. Essa tática de reserva de mercado —que realça seus próprios produtos com o verniz de uma solução única e milagrosa (só o fitness salva!)— somada a uma velha estratégia de venda que busca complicar aquilo que é simples tem desvirtuado as pessoas do caminho da saúde plena.

Dessa forma, caso você já tenha tentado de tudo, porém, sempre a partir da mesma estratégia, saiba que o problema não é você e, sim, uma comprovada e já bem estabelecida inadequação ao modelo escolhido.

Como já expliquei, esse é o conceito de insanidade corporal: buscar resultados diferentes a partir de uma mesma estratégia.

A estratégia mais eficiente de treinamento é mudar a mentalidade

O treinamento é algo que deveria ser escolhido sob medida, seguindo o seu perfil psicológico e respeitando a sua individualidade biológica. Na realidade, não é você que tem que se adaptar ao treinamento, é o treinamento que tem que se adaptar a você. Dessa forma, aderir a um modelo de treinamento só porque está na moda, mesmo que ele não favoreça a sua adesão ou saúde corporal, seria a pior estratégia possível.

Estar alinhado ao futuro significa facilitar a adesão ao treinamento, proporcionando ao aluno uma estratégia gradativa, segura, saudável e sustentável rumo aos seus objetivos, sem agressões ou radicalismos.

De acordo com essa nova mentalidade, a função primordial da atividade física é manter o corpo saudável, funcional, priorizando a mobilidade, a flexibilidade e a inteligência do movimento, resgatando a raiz do movimento orgânico e natural, seguindo o princípio fundamental do treinamento físico: a moderação (na medida exata, sem exagero).

Muitas pessoas não se adaptam ao modelo hegemônico de treinamento, por mais que insistam ou se esforcem em seguir o conceito radical e agressivo do bodybuilding, o famoso 3 F: Força, foco e fé.

Movido por um esforço didático, zeloso e amoroso, desenvolvi o conceito do 5 S, para que as pessoas entendam, de uma vez por todas, que existem outras maneiras de lidar com o treinamento físico e atingir bons resultados.

Não é mágica, não é milagre, é apenas uma outra abordagem, convidando o aluno a respeitar os seus limites e dar um passo de cada vez, sem pressa, sem radicalismo, o que, no fim, pode ser muito mais produtivo.

Como diz meu pai: " Vamos devagar porque temos pressa!"

Estas são as qualidades essenciais do treinamento focado no conceito 5 S:

  1. Sustentável;
  2. Saudável;
  3. Simples;
  4. Suave (extremamente gradativo);
  5. Suficiente (na medida exata, sem exagero).

Paixão pelo movimento

Treinar, meditar e brincar poderiam ser, simultaneamente, sinônimos de uma mesma atividade.

Se você treina apenas em função da utilidade e dos benefícios dessa atividade corporal, você ainda não descobriu o sentido primordial do movimento.

Por que eu treino? Porque esse é um dos momentos mais prazerosos e transcendentes do meu dia. Eu não vou treinar porque preciso chegar a algum resultado, vou treinar pois desejo ardentemente repetir essa experiência extremamente agradável e estimulante.

Como um fruto dessa paixão, meu peso corporal está estável e saudável há 37 anos (desde meus 18 anos). Meu corpo é equilibrado, magro e definido, embora a estética não seja o foco, mas uma consequência natural desse envolvimento fiel e regular com o movimento corporal.

Sou apaixonado por aquilo que o movimento provoca em meu corpo, em minha mente e em meu espírito. É necessário esforço e força de vontade para fazer algo que te apaixona?

Mas, afinal, como mudar a mentalidade e iniciar o processo de estabelecer uma relação positiva com a atividade corporal?

O primeiro passo é descobrir alguma modalidade que o motive e que seja prazerosa, algum modelo de treinamento que você queira, espontaneamente, voltar no dia seguinte e repetir essa experiência. Sem esse pré-requisito, fica difícil conseguir aderir ao treinamento.

O segundo passo é desconstruir, aos poucos, essa relação utilitarista com o movimento, deixando de vê-lo como algo doloroso e desagradável, uma forma de obrigação, o que, consequentemente, torna-se sinônimo de algo chato e impositivo, algo que você, inconscientemente, buscará fugir a todo custo.

O futuro do treinamento chegou e, depois de quatro décadas de indústria fitness, esse novo modelo tem revolucionado a forma como fomos ensinados a entender a saúde corporal.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL