Conteúdo publicado há 19 dias

Cris Fibe: Holofotes precisam se voltar aos abusadores, que agem em série

Os holofotes precisam se voltar aos abusadores em casos de violência sexual, pois eles agem em série e dificilmente apenas uma vez, e não às vítimas dessa violência, afirmou a colunista do UOL Cris Fibe durante o UOL News da tarde desta quinta-feira (23).

O STF (Supremo Tribunal Federal) proibiu que autoridades desqualifiquem ou questionem vida sexual de vítimas de estupro, como se isso pudesse justificar um crime.

Por que o STF em pleno 2024 ainda precisa proibir que essa desqualificação barata seja usada contra as vítimas? Que a vida sexual pregressa da vítima pudesse ser usada contra, como se algo justificasse ela ser vítima de violência sexual, em vez de as lentes se voltarem ao comportamento dos acusados. Cris Fibe, colunista do UOL

A gente sabe que os abusadores agem em série, raramente um estuprador estupra só uma vez. Então, bastaria a gente jogar a luz, o holofote sobre eles, para entender que aqueles crimes não são isolados e que eles precisam ser parados. Cris Fibe, colunista do UOL

Cris Fibe diz que o que acontece é o contrário, com atuação nesse sentido vindo de promotores, juízes e advogados.

O que acontece na prática é o contrário. Promotores, juízes e até advogados de defesa dos acusados, às vezes, jogam o seu foco nas próprias vítimas. Cris Fibe, colunista do UOL

Lembro que o próprio STF precisou decidir em 2021 proibir também nos casos de feminicídio, aquele uso antigo, a gente se lembra do caso da Angela Diniz assassinada em 1976 pelo Doca Street. O STF precisou proibir em 2021 o uso que foi feito na Angela Diniz e em tantos outros casos, do discurso da legítima defesa da honra. Cris Fibe, colunista do UOL

Kotscho: Bolsonaro em livraria faz Aldo Rebelo entrar para a história

Continua após a publicidade

Ainda no UOL News de hoje (23), o comentarista Ricardo Kotscho ironizou o antigo aliado do PT e atual secretário do prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), Aldo Rebelo ao dizer que ele entrou para a história por conseguir levar o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) a uma livraria.

Ex-ministro dos governos Lula 1 e Dilma 1 e 2, Rebelo lançou um livro sobre a Amazônia chamado "Amazônia - A Maldição de Tordesilhas", na quarta-feira (22), em Brasília, com a presença não só do ex-presidente, mas também do general Villas Bôas, ex-assessor especial do GSI (Gabinete de Segurança Institucional).

O Aldo Rebelo vai passar para a história porque ele conseguiu um milagre: levou o Bolsonaro para uma livraria. Isso é um aspecto positivo que se manteve no Aldo Rebelo [com o histórico do passado na esquerda]. Ricardo Kotscho, comentarista do UOL News

[Mas] O que aconteceu com Aldo Rebelo? (...) Não consigo entender como é que um cara [muda assim], mas ele tá exagerando um pouco. Ricardo Kotscho, comentarista do UOL News

Tales Faria: Aldo sempre teve boa relação com Bolsonaro, mas está passando do limite

Continua após a publicidade

O colunista do UOL Tales Faria respondeu ao questionamento de Kotscho e aproveitou para dar um panorama do histórico do ex-ministro dos governos petistas.

O Aldo sempre teve uma boa relação com o Bolsonaro. O Aldo era da comissão de defesa nacional, e o Bolsonaro e ele tiveram sempre uma boa relação porque o Aldo teve sempre uma relação boa com os militares em geral, tem esse lado patriota dele que fez com que ele e o Bolsonaro se dessem bem. Agora, ele está exagerando. Tales Faria, colunista do UOL

Tem outra questão do Aldo também que é a questão da Amazônia. O Aldo acha que há um exagero no movimento do meio ambiente, sempre achou. Ele era de esquerda, mas sempre teve esses dois lados: uma proximidade grande com os militares, que fez ele se dar bem até com Bolsonaro; e uma rejeição aos movimentos ecológicos na Amazônia porque sempre achou que eles eram ligados aos Estados Unidos, aos países desenvolvidos, interesses da dominação internacional. Tales Faria, colunista do UOL

Sempre fui muito contra esse socialismo autoritário. Acho que, no final das contas, ficam muitos semelhantes à direita radical. Mas o Aldo é uma figura que tem seu passado respeitável e é curioso isso. (...) Agora, tem também um problema pessoal. O Lula, no segundo governo dele, juntou três ministros de outros partidos para blindarem ele no Congresso: Aldo Rebelo, Eduardo Campos e Ciro Gomes. Esses ministros foram muito ligados ao Lula e tinha uma expectativa política de apoio do PT e do Lula para eles. Só que esse apoio não veio. Isso deixou eles muito irritados. Tales Faria, colunista do UOL

O UOL News vai ao ar de segunda a sexta-feira em duas edições: às 10h com apresentação de Fabíola Cidral e às 17h com Diego Sarza. O programa é sempre ao vivo.

Quando: De segunda a sexta, às 10h e 17h.

Continua após a publicidade

Onde assistir: Ao vivo na home UOL, UOL no YouTube e Facebook do UOL.

Veja a íntegra do programa:

Opinião

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Deixe seu comentário

Só para assinantes