Conteúdo publicado há 28 dias

PM suspeito de matar professora e os filhos dela é preso em SP

O policial militar suspeito de matar a ex-companheira e os dois filhos dela foi preso na madrugada desta terça-feira (21) em Itapeva (SP).

O que aconteceu

O PM - que trabalha no Corpo de Bombeiros-, de 42 anos, foi preso preventivamente. Ele foi levado ao Presídio Militar Romão Gomes, cinco dias após o crime.

Ele é suspeito de ter cometido um triplo homicídio de Josilene Rosa, 39, e dos filhos dela, Gabriel Miranda e Arthur, de 20 e 12 anos. A Delegacia de Apiaí e a Polícia Militar seguem com as investigações.

Como o homem não teve o nome divulgado pela polícia, não foi possível entrar em contato com a defesa dele. O UOL procurou a SSP (Secretaria de Segurança Pública de São Paulo) e aguarda posicionamento. O espaço segue aberto para manifestações.

Entenda o caso

Cerca de sete tiros foram disparados. A professora Josilene Rosa, 39, e os filhos, Gabriel Miranda e Arthur, de 20 e 12 anos, foram baleados na casa da família, no Jardim Araucária. Os três morreram no local.

O suspeito teria fugido após o crime. Ele ainda levou a arma usada para matar a ex-companheira e os filhos da mulher, segundo a polícia. O caso foi registrado como peculato, homicídio e feminicídio na delegacia do município.

Homem não aceitava término do relacionamento, indica a investigação. Eles ficaram juntos por pouco mais de seis meses.

Entretanto, a motivação ainda é apurada, diz o delegado à frente da investigação, Valmir Oliveira. "A gente ainda não sabe a motivação, mas tudo indica que tenha sido em razão do rompimento do namoro que ele tinha com a vítima", disse, em entrevista ao Brasil Urgente, da TV Bandeirantes.

Deixe seu comentário

Só para assinantes