Conteúdo publicado há 1 mês

Homem é preso suspeito de cravar faca no pescoço de ex-mulher em GO

Uma mulher de 40 anos ficou com uma faca cravada no pescoço após ser atacada pelo ex-marido, um homem de 59 anos. O caso ocorreu na madrugada de segunda-feira (15), em Mineiros (GO).

O que aconteceu

A vítima e o suspeito estavam separados há cerca de um mês. No dia do crime, por volta das 3h, o homem foi até a casa da mulher sob a justificativa de que precisava pegar algumas roupas e foi recebido pela filha da vítima, uma adolescente de 17 anos, que informou que a mãe estava na casa de uma tia. As informações foram repassadas pela Polícia Militar de Goiás.

A adolescente estava acompanhada por outra irmã e permitiu que o suspeito entrasse para pegar os pertences. Após o padrasto retirar as roupas, as duas voltaram a dormir, mas acordaram com a mãe sendo agredida pelo homem.

Suspeito estava com um machado, segundo a adolescente relatou à PM. Nesse momento, uma das filhas pegou uma faca para socorrer a mãe, mas o homem conseguiu tomar a faca e cravou no pescoço da ex-mulher. O homem também desferiu uma machadada na cabeça da adolescente, provocando uma lesão, além de corte no braço.

Vítima foi socorrida e encaminhada para o Hospital Estadual em Jataí, onde foi submetida a um procedimento cirúrgico e segue internada. Não há informações atualizada sobre o estado de saúde dela.

Após cometer o crime, o suspeito fugiu em um carro. Ele foi localizado e preso horas depois dentro do automóvel. O caso é investigado pela Polícia Civil. Como o homem não teve a identidade divulgada, não foi possível localizar a defesa.

Em caso de violência, denuncie

Ao presenciar um episódio de agressão contra mulheres, ligue para 190 e denuncie.

Casos de violência doméstica são, na maior parte das vezes, cometidos por parceiros ou ex-companheiros das mulheres, mas a Lei Maria da Penha também pode ser aplicada em agressões cometidas por familiares.

Continua após a publicidade

Também é possível realizar denúncias pelo número 180 — Central de Atendimento à Mulher — e do Disque 100, que apura violações aos direitos humanos.

Deixe seu comentário

Só para assinantes