Conteúdo publicado há 3 meses

Marido confessa ter matado e enterrado corpo de italiana de 43 anos em SC

Uma italiana de 43 anos foi encontrada morta enterrada no quintal da própria casa em Araquari, no norte de Santa Catarina. O companheiro dela confessou o crime e foi preso.

O que aconteceu

A vítima, identificada como Antonella de Rosa, foi morta a marretadas. O corpo foi localizado na tarde de quarta-feira (6), no bairro Colégio Agrícola. O caso é investigado pela delegacia de Araquari.

O companheiro da italiana confessou o crime. Em depoimento à polícia, o homem, que não teve o nome divulgado pelas autoridades, disse que o homicídio ocorreu no dia 26 de fevereiro.

O suspeito alegou que a matou em legítima defesa. De acordo com a Polícia Civil de Santa Catarina, ele argumentou que foi atacado por ela com uma barra de ferro. Segundo o homem, ao se defender, a atingiu com golpes de marreta.

Um dia após o crime, ele teria decidido enterrar o corpo de Antonella nos fundos do quintal. A remoção do corpo foi realizada por técnicos da Polícia Científica com o auxílio de bombeiros da Polícia Militar de Araquari.

O assassinato aconteceu em Araquari, no norte de Santa Catarina, no dia 26 de fevereiro.
O assassinato aconteceu em Araquari, no norte de Santa Catarina, no dia 26 de fevereiro. Imagem: Divulgação/PCSC

A polícia encontrou o corpo da vítima após o suspeito se entregar. O companheiro procurou a 7ª Delegacia de Polícia de Joinville para narrar os fatos e apontar o local onde enterrou a vítima

O homem foi preso em flagrante por ocultação de cadáver e indiciado pelo homicídio qualificado.

Em caso de violência, denuncie

Ao presenciar um episódio de agressão contra mulheres, ligue para 190 e denuncie.

Continua após a publicidade

Casos de violência doméstica são, na maior parte das vezes, cometidos por parceiros ou ex-companheiros das mulheres, mas a Lei Maria da Penha também pode ser aplicada em agressões cometidas por familiares.

Também é possível realizar denúncias pelo número 180 — Central de Atendimento à Mulher — e do Disque 100, que apura violações aos direitos humanos.

Deixe seu comentário

Só para assinantes