Conteúdo publicado há 2 meses

Marido é preso após corpo de mulher ser encontrado concretado em SP

Um homem de 33 anos foi preso após se entregar à polícia na quarta-feira (21) e admitir ter concretado o corpo da esposa em Paraisópolis, na zona sul de São Paulo.

O que aconteceu

Corpo da vítima foi encontrado concretado em uma caixa. Após denúncia anônima, policiais do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa) encontraram o cadáver da mulher, de 33 anos, na própria residência na noite de terça-feira (20). O nome da vítima não foi divulgado.

Marido colocou corpo em caixa e usou produtos químicos. O homem, identificado como Douglas Lopes, teria coberto o corpo da vítima com cimento, água, cal, água sanitária e cloro para fazer a ocultação do cadáver, informou advogado Vicente da Silva, que representa o marido, ao Cidade Alerta (Record TV). O casal tinha um relacionamento há 13 anos.

Defesa de homem diz que vítima caiu durante briga. Segundo Silva, a vítima estava sendo agredida por Douglas, quando caiu, bateu a nuca em uma cadeira e morreu. A discussão ocorreu por "motivo banal", acrescentou o advogado.

Advogado diz que cliente concretou corpo porque teve medo. Silva declarou que o homem temia a reação da comunidade local ao saber da morte da vítima, já que eles tinham um comércio na região.

A perícia foi acionada para o local do crime. A informação é da SSP-SP (Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo).

SSP-SP não detalhou a ocorrência. A secretaria respondeu apenas que o homem foi preso e corpo foi achado por policiais do DHPP.

Em caso de violência, denuncie

Ao presenciar um episódio de agressão contra mulheres, ligue para 190 e denuncie.

Continua após a publicidade

Casos de violência doméstica são, na maior parte das vezes, cometidos por parceiros ou ex-companheiros das mulheres, mas a Lei Maria da Penha também pode ser aplicada em agressões cometidas por familiares.

Também é possível realizar denúncias pelo número 180 — Central de Atendimento à Mulher — e do Disque 100, que apura violações aos direitos humanos.

Deixe seu comentário

Só para assinantes