Conteúdo publicado há 1 mês

Homem confessa ter matado namorada dentro de motel em SP, diz polícia

Um homem de 36 anos foi preso em flagrante por feminicídio após a namorada, de 24, ter sido encontrada morta em um motel no bairro Vila Jaraguá, na zona norte da capital. Segundo a Polícia Civil, ele confessou o crime.

O que aconteceu

Funcionária notou que homem iria sair do motel sem a vítima. Enquanto tentava deixar o local, Sebastião Santos Freitas acabou batendo o carro no portão do estabelecimento.

Depois, ele tentou escalar o muro para fugir. A Polícia Militar foi acionada para atender a ocorrência, por volta das 22h09, e conseguiu prender o homem durante a tentativa de fuga.

Os policiais encontraram Daniela Lucena ensanguentada na cama do quarto onde o casal estava. A vítima tinha diversos ferimentos pelo corpo. O óbito no local foi constatado pela USA (Unidade de Suporte Avançado), do Corpo de Bombeiros.

Médico da USA apontou que "algum objeto foi usado para ferir" a vítima. O profissional da saúde não conseguiu identificar no momento qual seria o objeto. A causa da morte não foi informada pela SSP-SP (Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo). O exame pericial no IML (Instituto Médico Legal) poderá apontar como a vítima foi morta.

Homem confessou o crime. Em depoimento à polícia, Sebastião afirmou que premeditou o feminicídio após ter descoberto, dois dias antes, uma suposta traição que Daniela teria cometido, informou a Polícia Militar. O caso foi registrado como violência doméstica e feminicídio na 4° DDM (Delegacia de Defesa da Mulher), na Freguesia do Ó, também na zona norte.

Velório e sepultamento da vítima ocorrerão no sábado (17) em um cemitério na zona norte.

Homem seguirá preso, decide Justiça

Justiça mantém prisão do homem. A prisão em flagrante de Sebastião foi convertida em preventiva (por tempo indeterminado) em audiência de custódia nesta sexta-feira (16), apurou Universa.

Continua após a publicidade

A reportagem não encontrou a defesa de Sebastião para pedido de posicionamento. O espaço segue aberto para manifestação.

Em caso de violência, denuncie

Ao presenciar um episódio de agressão contra mulheres, ligue para 190 e denuncie.

Casos de violência doméstica são, na maior parte das vezes, cometidos por parceiros ou ex-companheiros das mulheres, mas a Lei Maria da Penha também pode ser aplicada em agressões cometidas por familiares.

Também é possível realizar denúncias pelo número 180 — Central de Atendimento à Mulher — e do Disque 100, que apura violações aos direitos humanos.

Deixe seu comentário

Só para assinantes